"Conversando sobre a Tuberculose" movimenta UBS Maria Imaculada em Poços

Publicado em 13/03/2019 - regiao - Da Redação

"Conversando sobre a Tuberculose" movimenta UBS Maria Imaculada em Poços

As manhãs de terça-feira costumam ser movimentadas na Unidade Básica de Saúde Maria Imaculada, já que este é um dia que reúne: consultas médicas, de enfermagem e coleta de exames laboratoriais. Nesta terça, 12, os pacientes participaram da atividade prática na sala de espera. “Aproveitamos este maior número de pessoas na unidade para fazer o “Conversando sobre a Tuberculose”, onde falamos sobre sintomas, diagnóstico, as formas de atendimento e esclarecemos dúvidas. Também distribuímos folders educativos e colocamos nossa equipe à disposição para atendimentos individuais”, explicou o enfermeiro Wagner Barreto Costa.

O aposentado José Donizete Ferreira, 60, foi um dos participantes. “Achei legal porque esclarece mais a gente. Gostei muito da palavra deles, tanto do pessoal do posto, quanto da equipe de fisioterapia”. A ação foi feita pela equipe de ESF – Estratégia de Saúde da Família, em parceria com estudantes do curso de Fisioterapia da PUC Poços e com a professora Délcia. Na próxima terça, 19, a partir de 8h30, será montada uma Tenda da Saúde no bairro Maria Imaculada, com aferição de pressão arterial, medição de glicemia, informações sobre os grupos de Lian Gong e Percepção Corporal, além de mais informações sobre a prevenção e diagnóstico da Tuberculose.

Tuberculose

24 de março é o Dia Mundial de Combate à Tuberculose e o mês todo é de orientação para a prevenção e a necessidade de diagnóstico o mais rápido possível. Tosse frequente na forma seca ou produtiva e que não passa há mais de três semanas é o principal sintoma. Febre no final da tarde, suores noturnos, perda de peso, dor torácica e dispnéia também caracterizam a tuberculose, uma doença infecciosa, transmissível pela tosse e que atinge principalmente pulmão e faringe mas que pode ocorrer também em outros órgãos. O tratamento é medicamentoso. De 15 a 30 dias após o início do uso da medicação, o paciente já deixa de transmitir a doença. Se não tratada, a tuberculose pode levar a morte.  Em 2018, foram 29 casos diagnosticados e atualmente, cerca de 20 pacientes permanecem em tratamento na cidade.

Nas unidades de saúde pode ser feito o exame laboratorial de escarro. Com a chegada deste resultado, o paciente é encaminhado ao Programa Municipal de Tuberculose, para acompanhamento e tratamento. O diagnóstico inclui exames de imagem, como raio-X de tórax ou tomografia. Existe ainda uma pequena possibilidade de transmissão da mãe ao bebê, por meio da placenta. A vacina BCG (Bacillus Calmette-Guérin) aplicada logo após o nascimento é muito importante, mas imuniza especificamente contra as formas graves da doença, o que não impede uma pessoa vacinada de contrair a tuberculose ao longo da vida.

 

ASCOM