IX Congresso Mineiro de Vereadores abre o primeiro dia do 36º Congresso Mineiro de Municípios

Publicado em 14/05/2019 - politica - Da Redação

IX Congresso Mineiro de Vereadores abre o primeiro dia do 36º Congresso Mineiro de Municípios

É preciso união entre legislativo e executivo municipais para o bem do cidadão. A declaração é do presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), vice-presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, na abertura do IX Congresso Mineiro de Vereadores no primeiro dia do 36º Congresso Mineiro de Municípios, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte.

“Minas é o estado mais municipalista do Brasil, porque tem mais municípios, e o municipalismo é a luta dos legislativos e executivos. Os vereadores são fundamentais na defesa de um novo pacto federativo e não podem abaixar a cabeça para ninguém”, afirmou Julvan Lacerda, Presidente da Associação Mineira de Municípios.

“O vereador é o ente político que está mais perto do cidadão e tem que ser ouvido e respeitado”, defendeu Antônio Carlos Arantes, vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e ex-prefeito de Jacuí, Sul de Minas, no painel de abertura do IX Congresso Mineiro de Vereadores, que acontece hoje no Mineirão, em Belo Horizonte.

“O municipalismo não tem dono. O municipalismo é de todos nós. Somos mais de 57 mil vereadores e vereadoras no Brasil. Juntos, somos muito fortes”, conclamou Gilson Conzatti, presidente da União de Vereadores do Brasil (UVB). “Este congresso é uma experiência muito rica para compartilharmos experiências exitosas de combate à crise que assola as cidades do País”, comemorou o vereador de Belo Horizonte, Gabriel Azevedo.

“Quase 70% dos recursos ficam com a União, mas eles são gerados no município. Saem daqui e vão para Brasília. Os vereadores são muito importantes para mudar isso”, discursou Rogério Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Câmaras Municipais (Abracam). “Os municípios podem se unir, sobretudo para obras de infraestrutura. No caso da região metropolitana de BH, para pensar o metrô e o rodoanel. No Triângulo Mineiro, para discutir a implementação da Região Metropolitana de Brasília”, ponderou Azevedo.

Durante o debate, os vereadores também defenderam as pautas de coincidência de pleitos para unificação de plataformas em todas as esferas, com ampliação do próximo mandato para seis anos, e aumento dos poderes e recursos para os municípios.

Promovido pela Associação Mineira de Municípios (AMM), o Congresso acontece nesta terça e quarta-feira, dias 14 e 15 de maio, no Estádio Mineirão. O tema deste ano é: “Novos governos. Perspectivas, Desafios e Compromisso com os Municípios.” Mais informações no portalamm.org.br.


ASCOM / AMM