IEF assina Acordo de Cooperação Técnica para ampliar projeto Mutum

Publicado em 20/02/2021 - geral - Da Redação

IEF assina Acordo de Cooperação Técnica para ampliar projeto Mutum

Acordo de Cooperação Técnica firmado na tarde da quinta-feira (18/2), entre o Instituto Estadual de Florestas (IEF) e a Celulose Nipo-Brasileira S/A (Cenibra), permitirá a ampliação do Projeto Mutum. A iniciativa promove a proteção, criação em cativeiro e reintrodução, na natureza, de aves da fauna silvestre ameaçadas de extinção, entre elas o Mutum-do-Sudeste. O acordo prevê o desenvolvimento de atividades de conservação, preservação, pesquisa e educação ambiental dentro do escopo do projeto, que é desenvolvido pela empresa desde 1990.

 

A assinatura foi anunciada em reunião virtual realizada por representantes do Sistema Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) e da empresa e oficializada no Sistema Eletrônico de Informação (SEI). Participaram do encontro a secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Marília Melo; o diretor-geral do IEF, Antônio Malard; o diretor-presidente da Cenibra, Kazuhiko Kamada, além de servidores do Sisema e funcionários da empresa.

 

O Projeto Mutum já mantém atividades na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) Fazenda Macedônia, no município de Ipaba (Vale do Aço) e será estendido para a região de Ponte Perdida, área vizinha ao Parque Estadual do Rio Doce. O trabalho conjunto permitirá o fortalecimento das ações do IEF voltadas à conservação da fauna silvestre.

 

Durante a reunião de anúncio, o diretor-geral do IEF, Antônio Malard, ressaltou que o órgão sempre busca parcerias para desenvolver melhor seu trabalho e entregar para a sociedade mineira produtos de qualidade. "Confiamos nesse projeto desenvolvido pela Cenibra, que já vem apresentando resultados significativos. Ele vai além da preservação e conservação, trabalhando também com pesquisa e educação ambiental. Com certeza, o país, o Estado de Minas Gerais e principalmente as espécies ameaçadas de extinção serão beneficiadas", afirmou Antônio Malard. Ele ressaltou ainda que "Minas Gerais ganha muito com essa parceria de sucesso, pois ela fortalecerá e impulsionará as ações de conservação da fauna desenvolvidas pelo IEF".

O Acordo prevê a reintrodução das aves Crax blumenbachii, Aburria jacutinga e Tinamus solitarius, popularmente conhecidos como mutum do-sudeste, jacutinga e macuco, todas da fauna silvestre ameaçadas de extinção. Com a iniciativa, o IEF também atende aos objetivos gerais do Plano de Ação Nacional Aves da Mata Atlântica, aprovado por meio da Portaria ICMBio nº 34, de 24 de janeiro de 2017, que inclui as três espécies abrangidas pelo Projeto.

 

Em sua fala, a secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Marília Melo, enalteceu a importância dessa parceria para o Estado de Minas Gerais, especialmente pela relevância do tema fauna. "Fico feliz em participar desse momento de materialização de uma importante parceira. Esse acordo é muito valioso para a gestão da biodiversidade em Minas e fortalece ainda mais a cooperação mútua entre o Estado e a Ceniba", frisou.

 

O acordo também se constitui como um instrumento relevante que possibilita ampliar a soltura de animais silvestres para as áreas localizadas no entorno de Unidades de Conservação de Proteção Integral, permitidas exclusivamente nos casos em que sejam vinculadas a projetos científicos conservacionistas de interesse do IEF e previamente aprovados pelo Instituto. Este é o caso dos projetos previstos no instrumento firmado que, além de estimular o monitoramento dos animais silvestres destinado a essas áreas, promove atividades de educação ambiental.

 

O diretor-presidente da Cenibra, Kazuhiko Kamada, que também participou do evento virtual de assinatura, enfatizou que o acordo reforça o compromisso da Cenibra com a preservação da biodiversidade no Estado de Minas Gerais e facilita a dispersão das aves nos remanescentes de Mata Atlântica em Minas. "O Projeto Mutum é um exemplo de que a reintrodução de animais pode ser uma ação efetiva para a preservação das espécies e para evitar a extinção das mesmas. Hoje é um dia muito especial para a Cenibra", disse Kazuhiko. Segundo o diretor-presidente, o projeto Mutum já possibilitou a reintrodução de diversas aves silvestres em seu habitat natural desde que foi criado, em 1990.

 

Ainda segundo Kazuhiko Kamada, o status de conservação das espécies Crax blumenbachii, Aburria jacutinga e Tinamus solitarius, reforça a necessidade de ações imediatas para sua proteção e conservação, evitando assim a extinção das espécies. "A continuação deste projeto é imprescindível e o Acordo possibilitará o desenvolvimento de atividades de conservação e preservação das espécies, em parceria com o IEF e alinhados com a visão de futuro do PAN Aves da Mata Atlântica, de assegurar a conservação das espécies em seus habitats, com populações viáveis do ponto de vista genético e demográfico, em até 50 anos", ressaltou.

 

A supervisora da Unidade Regional do Rio Doce do IEF, Adriana Spagnol, também exaltou a importância da parceria entre IEF e Cenibra para Minas Gerais em razão da relevância ambiental, na medida em que trabalha pela preservação das aves e contribui efetivamente com o meio ambiente. "É com muita alegria, satisfação e orgulho que participamos desse momento, com a certeza de que atividades como essas estão colaborando para preservação, conservação e manutenção da fauna silvestre em Minas Gerais", reforçou.


ASCOM