Governador sanciona lei que amplia limites do Parque Estadual Serra do Papagaio

Publicado em 13/01/2021 - geral - Da Redação

Governador sanciona lei que amplia limites do Parque Estadual Serra do Papagaio

Foi oficializada na quinta-feira (07/01) a nova delimitação do Parque Estadual Serra do Papagaio, uma das 93 unidades de conservação gerenciadas pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) em Minas Gerais. Com as adequações, a área protegida localizada nos municípios de Aiuruoca, Alagoa, Baependi, Itamonte e Pouso Alto, no Sul de Minas, é ampliada em aproximadamente 3 mil hectares, passando de 22.917 para 25.888 hectares. A mudança sancionada pelo governador Romeu Zema é fruto de projeto de lei dos deputados estaduais Antônio Carlos Arantes e Duarte Bechir.


A alteração foi subsidiada por uma nota técnica produzida pelo IEF que ratifica a necessidade de readequação dos limites da unidade de conservação. De acordo com a gerente do parque, Lorena Soares Cardoso Brito, o principal objetivo da mudança é aumentar a efetividade da unidade de conservação.


“Algumas propriedades produtivas de bairros rurais estavam inseridas no parque pela delimitação original, o que não fazia sentido em termos de conservação ambiental. Agora, elas foram retiradas. Outras áreas de relevância para conservação, com fragmentos florestais significativos, foram inseridas, aumentando a proteção dessas áreas”, diz a gestora.

A mudança acrescenta 5,7 mil hectares aos limites do parque e retira outros 2,8 mil hectares, deixando um saldo que amplia a área. O Parque Estadual da Serra do Papagaio foi criado em 1998 e está inserido em uma área do bioma Mata Atlântica, na Serra da Mantiqueira. A unidade possuiu estruturas como sede administrativa, centro de pesquisa com alojamento, hospedagem de visitantes e mais de 50 atrativos em sua área de abrangência.


PROGRAMA PARC


O Parque Estadual Serra do Papagaio é ainda uma das 20 unidades de conservação gerenciadas pelo IEF que fazem parte do Programa de Concessão de Parques Estaduais (Parc), lançado em abril de 2019. O programa pretende estabelecer modelos de parcerias com o setor privado e o terceiro setor compatíveis com as necessidades das unidades de conservação estaduais. A iniciativa visa contribuir para a inovação na gestão de áreas protegidas, atrair investimentos, gerar empregos e ampliar recursos humanos e financeiros a serem empregados na conservação ambiental.


ASCOM