Autismo e suas dificuldades na sociedade atual

Publicado em 08/11/2019 - educacao - Da Redação

Autismo e suas dificuldades na sociedade atual

O autismo tem se tornado cada vez mais comum nos dias atuais, e a falta de informação da sociedade em tal assunto tem se tornado um tabu, Quando as pessoas identificam um autista geralmente à população tende a enxergá-los com alguns estereótipos, pensam que todo autista é um gênio Ou que todo autista é agressivo Quando na verdade são apenas pessoas comuns, com uma dificuldade na interação social e na comunicação. Um novo relatório do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CD), dos Estados Unidos, mostrou um aumento de 15% no número de crianças que fazem parte do transtorno do espectro autista (TEA),  isso quer dizer que a cada 59 crianças 1 é autista e em 2010 era apenas 1 a cada 110 crianças. Na literatura brasileira, Machado de Assis já retratava a discriminação de pessoas com deficiência, na sua obra realista Memórias Póstumas de Brás Cubas, cujo personagem principal se apaixona por uma mulher “coxa” (uma mulher com deficiência física), mas não se casa com ela devido a sua deficiência. Nos dias atuais varias pessoas com transtornos mentais e psicológicos sofrem com essa mesma descriminação. Vale destacar também que o Transtorno do Espectro Autista recebe justamente esse nome pois dentro de um espectro nem um autista é igual ao outro, temos até mesmo graus de autismo E dentro dos graus são pessoas totalmente diferentes entre si. Os graus são diferenciados como; Grau 1 ou leve -Apenas dificuldade na interação social, Grau 2 ou moderado- dificuldade na fala e na interação social,  grau 3 ou severo- dificuldade na interação social, dificuldade na fala, inflexibilidade entre outas coisas.

Um dos problemas que a maioria dos autistas sofrem é no meio escolar, pois a falta de competência de tais profissionais  no meio educacional causa grande dificuldade para alunos autistas pois por falta de conscientização não sabem que tais alunos apresentam dificuldades em se comunicar, de interagir com os outros alunos e apresentam movimentos repetitivos. O atual presidente da republica sancionou lei que obriga inclusão desses dados no questionário atendendo à necessidade da comunidade autista no Brasil e reconhecendo a importância do tema, sancionamos hoje a Lei 13.861/2019 que inclui dados específicos sobre autismo no Censo do IBGE. É triste saber que somente em 2019 foi criado uma lei que ajuda pessoas autistas á ter um ensino de qualidade e um tratamento bom. Vale a pena lembrar que autismo não tem cura e segundo estudos da neurociência a causa pode ser genética ou alterações ambientais (nada foi comprovado). 

Diante dos fatos apresentados podemos concluir que para transformar a sociedade e o ambiente escolar para os autistas precisamos de conscientização, acesso a informação, parceria governamental e empatia em enxergar o outro, juntamente, com a matéria de sociologia das escolas, como dizia Aristóteles, o homem é um ser social e a vida em sociedade é essencial para a sua realização pessoal e busca a felicidade.

(Victória Cabral - Aluna da E.E. Prof. Salatiel de Almeida  | Muzambinho)