Coluna Minas Gerais (22 de Fevereiro de 2020)

Publicado em 26/02/2020 - coluna-minas-gerais - Da Redação

Coluna Minas Gerais (22 de Fevereiro de 2020)

COLUNA MG


Rede de Notícias do Sindijori MG


www.sindijorimg.com.br


Queijo da Mantiqueira reconhecido

Produtores de queijo de nove municípios do Sul de Minas se reuniram em Itamonte, para receber o documento de caracterização integrada de municípios na região da Mantiqueira como produtores artesanais. O documento foi entregue pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) de Minas Gerais a produtores de Aiuruoca, Baependi, Boicana de Minas, Carvalhos, Itamonte, Itanhandu, Liberdade, Passa Quatro e Pouso Alto. Eles são identificados a partir dos aspectos históricos e culturais da produção. Ainda são levados em conta o processo produtivo do leite e a fabricação do queijo. (Correio do Papagaio - São Lourenço)

Educação leva história de Uberaba

Rumo ao bicentenário de Uberaba, a Fundação Cultural realizou a primeira edição de 2020 do projeto 'Educação Patrimonial'. A ação tem a intenção de preservar o patrimônio por meio da educação, apresentando programação interativa e musical para escolas municipais, estaduais e privadas da cidade. 'Educação Patrimonial' foi criado pela Seção Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (Sempac) em 2007 e vem sendo reformulado desde 2016. Neste ano, o tema "História, Fé e Tradições - Uberaba 200 Anos" pauta as atividades do projeto. O 'Educação Patrimonial' inaugurou os trabalhos do bicentenário na Escola Municipal Uberaba na semana que passou. (Jornal de Uberaba)

Fundação abre inscrições para livro

Estão abertas as inscrições de escritores varginhenses para participação gratuita no livro "Estação dos Contos". A publicação é uma iniciativa da Prefeitura de Varginha, com edição da Fundação Cultural, e vai ser lançada durante a FLIV 2020 - 6ª Feira Literária de Varginha. De acordo com o diretor-superintendente da Fundação Cultural, Lindon Lopes, "a publicação literária já é uma tradição em todas as edições da FLIV. Este ano, optamos por editar um livro de contos, pois nos anos anteriores foram privilegiadas as poesias". (Correio do Sul- Varginha)

Biblioteca registra mais usuários

A Biblioteca Municipal Bueno de Rivera de Santo Antônio do Monte oferece mais de 12 mil títulos, entre livros de referência para consulta (enciclopédias, dicionários, manuais) e para empréstimo (literatura brasileira geral e infanto-juvenil, além de literatura americana, inglesa e francesa). Segundo levantamento da funcionária da Prefeitura de Samonte que atua na Biblioteca, Cristina Maria César, o número de usuários viveu um constante aumento nos últimos três anos. "Nossos registros são de 1.964 empréstimos em 2017. Número que aumentou para 2.115 em 2018 e atingiu 2.266 em 2019", explica. (Jornal Cidade MG- Lagoa da Prata)

Câmara aprova política de saneamento

A Câmara de Guaxupé aprovou Projeto de Lei de autoria do Executivo que institui o Plano Municipal de Saneamento Básico e cria o Fundo Municipal de Saneamento Básico. Para explicar sobre o projeto, os edis receberam a diretora de meio ambiente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Rafaela Soares. Conforme ela, o projeto é importante, pois possibilita ao município de Guaxupé receber recursos da Copasa. (A Folha Regional- Muzambinho)

Trecho encontra-se entre prioridades

O trecho ferroviário entre Itaú de Minas a Ribeirão Preto e que corta São Sebastião do Paraíso está listado entre os 15 projetos que vão ser priorizados no Plano Estratégico Ferroviário de Minas Gerais. O anúncio foi feito há uma semana, durante a realização de um workshop realizado pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Mobilidade (Seinfra), órgão do Governo de Minas Gerais. Quando aborda o ramal desativado desde meados da década de 1980 a proposta cita a reativação da linha em um projeto a ser desenvolvido em longo prazo. (Jornal Sudoeste- São Sebastião do Paraíso)

Curvelo dá mais um bispo à igreja

No dia 22 de janeiro, o Papa Francisco nomeou bispo da Diocese de São Luís de Montes Belos (GO) o padre Lindomar Rocha, atualmente titular da Paróquia de Santo Antônio e diretor da Faculdade Arquidiocesana em Curvelo/MG, para suceder a dom Carmelo Scampa, cujo pedido de renúncia foi aceito pelo Vaticano. Padre Lindomar é o quarto pároco de Santo Antônio a sair diretamente de Curvelo p ara o Episcopado. Os outros três foram dom José Maria Pires (1957), dom Serafim Fernandes de Araújo (1959) e dom Geraldo Vieira Gusmão (1997). (Jornal Centro de Minas - Curvelo)

Federal na operação Volta às Aulas

A Polícia Rodoviária Federal vai realizar no mês de março em todo país a operação "Volta às Aulas", quando serão abordados veículos de transporte de estudantes que trafegam nas rodovias federais, sejam eles municipais ou terceirizados. A Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Mucuri e a PRF promoveram um evento na sede da associação, com prefeitos ou representantes dos municípios associados, com participação também de quatro municípios convidados do Vale do Jequitinhonha, quando foram apontados os detalhes da operação. (Diário Tribuna - Teófilo Otoni)



FIEMG considera inoportuno aumento aos servidores mineiros

Para a entidade, o reajuste vem em momento inadequado

A FIEMG vê com preocupação a possibilidade do reajuste dos salários de servidores públicos estaduais em 41,7% na área de segurança, 31% na educação e 28,8% em todas as demais categorias do funcionalismo mineiro. No momento em que os cofres do Estado sofrem com dívidas bilionárias, déficits recorrentes, falta de investimentos e salários parcelados, a entidade entende como um erro a proposição, por parte do Executivo, do Projeto de Lei (PL) 1451/2020, que agrava a situação das contas públicas. Por isso, pede que o governador Romeu Zema vete-o integralmente.

Na avaliação da entidade, o governo do Estado falhou ao ceder à pressão dos funcionários da segurança e enviar à ALMG uma proposta de aumento salarial que acabou deflagrando um processo de ampliação do reajuste para todas as categorias do funcionalismo. "É um erro aceitar o corporativismo, principalmente em um momento em que o Estado não tem condições de pagar sequer a folha atual. É como emitir um cheque sem fundo", avalia o presidente da FIEMG, Flávio Roscoe. Hoje, os funcionários públicos mineiros já recebem seus vencimentos de forma parcelada. Em 2019, a despesa total com pessoal alcançou 58,4% da receita corrente líquida, extrapolando o teto da Lei de Responsabilidade Fiscal, que é de 49%.

Vale lembrar que Minas Gerais conta hoje com uma liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) que assegura o não pagamento dos juros da sua dívida -- de R$ 108 bilhões -- graças ao compromisso do Estado de realizar o ajuste fiscal. "Aumentar a despesa com pessoal é uma evidência de que o Estado não será capaz de cumprir o acordado, tendendo a perder o benefício, o que seria ainda mais desastroso para as contas públicas mineiras", pontua Roscoe.

O líder industrial entende que é função do governo zelar por todos os 20 milhões de mineiros, atuando para que o estado não sofra consequências ainda maiores oriundas dos problemas com as contas públicas. "Concordamos que é preciso remunerar de forma justa os servidores públicos. Mas é preciso sanar a grave situação financeira do governo de Minas para depois planejar aumento nos salários, principalmente em percentuais tão elevados", afirma Roscoe.

Ele observa que não adianta aumentar o salário dos servidores se não há condições de arcar com esses custos. "O cobertor está curto. Vai faltar em algum lugar: na conta de luz de escolas, nas reformas de hospitais, no combustível da viatura, na verba para comprar medicamentos, ou seja, nos serviços básicos para os cidadãos. Aumentará o déficit na previdência social e fornecedores deixarão de receber. O reajuste é um sonho que não vai ser pago e toda a sociedade pagará o preço caso seja aprovado", alerta o presidente da FIEMG.

Para a FIEMG, o momento de correção fiscal pelo qual passa Minas Gerais pede a contribuição de todos. "Devemos, todos, pleitearmos a saúde financeira do Estado, incluindo os servidores públicos, maiores interessados em ter os salários pagos em dia e sem fracionamento", afirma Roscoe.

Hoje, a situação financeira do Estado é calamitosa -- já se gasta mais do que se arrecada e Minas Gerais é um dos que mais apresenta problemas fiscais no país. "O reajuste dos servidores põe em sério risco, inclusive, o Plano de Recuperação Financeira do Estado, fundamental para o futuro das contas públicas mineiras", pontua Roscoe.

O PL 1451/2020 foi enviado à ALMG pelo Executivo, propondo o reajuste nos salários da área de segurança pública. Em plenário, o Projeto de Lei recebeu emendas para que os aumentos se estendam a todas as demais categorias de servidores. Em votação, tanto o texto original como as emendas foram aprovadas. A FIEMG pede que o governador Romeu Zema reveja sua posição e vete integralmente as propostas, inclusive a parte que trata da segurança. "Contamos com o engajamento e apoio da sociedade para resgatarmos Minas Gerais", conclama o presidente da entidade.