Santa Casa de Muzambinho se posiciona para uma possível demanda do COVID-19

Publicado em 07/04/2020 - cidade - Da Redação

Santa Casa de Muzambinho se posiciona para uma possível demanda do COVID-19

Nos últimos dias, a Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Muzambinho lançou uma campanha junto à comunidade local pedindo apoio da comunidade, angariando recursos importantes para o enfrentamento do COVID-19.

O diretor Altamiro Mello manifestou publicamente um agradecimento especial pela imediata e positiva resposta popular. Ao mesmo tempo, esclareceu que a entidade está muito bem posicionada dentro da realidade. Não sendo uma entidade com fins lucrativos, não existe sobra, mas um rígido controle administrativo. Com isso, proporcionando a segurança necessária. Porém, considerando a situação da saúde no país e no mundo nos dias atuais, é necessário uma ação preventiva. “Estamos nos estruturando para uma possível demanda”, disse, considerando o momento de pandemia mundial do novo coronavírus.

Ainda destacando a estrutura da entidade, Altamiro revelou um índice de resolutividade de 90% dos casos acolhidos. Ou seja, sempre demonstrou capacidade de estabilizar um paciente com determinadas patologias até que seja encaminhado a um hospital com maiores recursos, cada um na sua especialidade.

“Com relação à pandemia específica também estamos estruturados em parte para estabilizar o paciente e depois dar o devido destino”, explicou o diretor. Mas é preciso observar os cursos de atendimento e tratamento ao paciente infectado. Daí a necessidade de apoio da comunidade e envolvimento do próprio poder público.

 

ENVOLVAM-SE COM A ENTIDADE

O diretor administrativo Luiz Carlos Dias acrescentou que a gestão vem estruturando a Santa Casa nos últimos sete anos. Não considerando a pandemia que não era prevista, mas simplesmente para dar mais qualidade nos atendimentos de outras patologias. Mas a entidade não conta com UTI, situação comum em mais de 90% dos municípios brasileiros.

Neste contexto, considerando a pandemia do COVID-19, Luiz Carlos revelou a estrutura existente na Santa Casa. Ou seja, uma equipe já preparada e outra equipa em treinamento de profissionais, 06 respiradores e outras condições. A preocupação ocorre no sentido de déficit de leitos na região, exatamente quanto ao tempo de permanência do paciente na entidade aguardando o devido encaminhamento para outros centros. “Até a este ponto a Santa Casa está preparada”, garantiu. A grande preocupação é com a possibilidade de acúmulo de muitos pacientes, sem que a Santa Casa tenha condições financeiras para ampliar sua equipe de profissionais.

Sobre a campanha de arrecadação financeira, o diretor administrativo falou sobre os cursos no atendimento durante a pandemia. A preocupação também ocorre quanto à segurança da equipe profissional (médicos, enfermeiros e servidores). A entidade não conseguiu, inclusive, a aquisição de máscaras. Material este que foi cedido pelo IFSULDEMINAS, num total de 5 mil unidades. “O nosso apelo é que a população comece a se envolver com a Santa Casa”, disse. Até porque o custo deverá aumentar com o surgimento de novos casos, suspeitos ou não. Por fim, a entidade conta com a estrutura necessária, mas tem preocupação com a segurança de sua equipe de profissionais, providência que exige novos investimentos financeiros.