Workshop define estratégia de posicionamento da marca Cafés Vulcânicos de Poços de Caldas

Publicado em 08/11/2019 - agronegocio - Da Redação

Workshop define estratégia de posicionamento da marca Cafés Vulcânicos de Poços de Caldas

Aproximadamente 20 produtores da Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Região de Poços de Caldas – Cafés Vulcânicos e parceiros do projeto participaram, na segunda e terça-feira (4 e 5/11), de um workshop realizado na sede do SEBRAE para debater, cocriar e aprovar as diretrizes estratégicas que irão fundamentar o futuro da governança, nome e expressão da marca de território dos Cafés Vulcânicos de Poços de Caldas.

A iniciativa integra o projeto “Cafés Vulcânicos da Região de Poços de Caldas”, aprovado pelo SEBRAE Nacional, que conta com recursos da ordem R$ 120 mil, com contrapartida de R$ 36 mil da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SMDET). O objetivo é fortalecer a cadeia produtiva da caldeira vulcânica de Poços e região, trabalhando para o reconhecimento e fortalecimento da marca.

O vice-prefeito Flávio Faria, que é titular da SMDET, afirma que o projeto é fruto de um trabalho de equipe que já começa a dar resultados. “Nossa proposta é que o modelo implantado junto à Associação de Cafés Vulcânicos possa se expandir para outras cadeias produtivas, agregando valor e movimentando a economia local, de maneira sustentável e de acordo com as tendências atuais de mercado”, avalia.

A coordenadora de Fomento Agropecuário da secretaria, Vanessa Barzagli, acompanhou os dois dias de workshop. “Sem dúvida, o SEBRAE vem desenvolvendo um trabalho de excelência junto à Associação e, em breve, já será possível mensurar os resultados”, informa.

“O projeto visa buscar um maior desenvolvimento da cafeicultura no município, trabalhando as questões de governança e de melhoria da qualidade e também a diferenciação dos cafés através da origem. O objetivo é fazer com que se produza cafés melhores, com um valor agregado percebido pelos clientes. Observamos um potencial muito grande para a cidade, não só na cafeicultura, mas também para outros segmentos como doces, queijos e outros alimentos e o próprio turismo”, ressalta o analista técnico do SEBRAE Poços de Caldas, Ivan Figueiredo.

O workshop é um momento fundamental do processo, que se estende até meados de 2020. “Hoje, estamos fazendo a apresentação do diagnóstico, que é a primeira fase do projeto denominada ‘Entender’. Nessa fase, visualizamos o que acontece na região, em termos de ambição dos produtores e do poder público quanto ao futuro da cafeicultura. Estamos entendendo o perfil dos produtores e da cafeicultura na região e visualizando também o que está acontecendo no mundo, quais são as tendências emergentes de futuro do café e onde a região pode se encaixar nesse movimento”, explica o consultor responsável pelo desenvolvimento do projeto, Paulo Vischi.

Em outubro, a Associação dos Produtores de Cafés Especiais da Região de Poços de Caldas – Cafés Vulcânicos completou 7 anos de atividade. “Tivemos um crescimento monstruoso nesse ano, em termos de desenvolvimento da associação. Depois que o nosso projeto foi aprovado pelo SEBRAE Nacional, o negócio decolou, embora ainda tenha muita a coisa a ser feita. O retorno será para o pequeno e médio produtor e também para a cidade. É um legado para mostrar o potencial da região e de cada produtor, melhorando a cafeicultura em Poços de Caldas”, celebra o presidente da associação, Marco Antônio Lobo Sanches.