KIT DE SOBREVIVÊNCIA NO DESERTO

Publicado em 04/03/2011 - ze-nario - Zé Nário

Você já viu alguém fazendo greve de sede? O que mais se vê por aí é gente fazendo greve de fome. Greve de sede, eu nunca vi! E não é pra menos! Sem ingerir água regularmente, o corpo humano perece rapidamente. Segundo alguns especialistas, o corpo humano resiste cerca de seis dias sem ingerir água e até trinta dias sem comida. Pois é, dias atrás os órgãos da imprensa local, inclusive este semanário, trouxeram uma notícia que acendeu o alerta vermelho para o consumo de água durante o carnaval aqui em Muzambinho.
A catastrófica previsão de crescimento exponencial da população da cidade, no período de cinco dias que antecede a quaresma, nos deixa muito apreensivos. Parece “líquido” e certo que vai faltar água na cidade. Isto é oficial e inequívoco, anunciado pela concessionária do serviço.
Mas a falta d’água vai ficar por aí? Será somente o esvaziamento dos canos? Não! Claro que não! Teremos que racionar o precioso líquido e definir prioridades. Tomar banho ou fazer comida? Lavar a louça ou lavar as “as vergonhas”?
Com a casa cheia de visitas, o ato mais corriqueiro, como botar água no feijão, ficará grandemente prejudicado. Isto traz outra dúvida: como é que restaurantes vão arranjar água suficiente para fazer a comida e lavar pratos e panelas? É bom lembrar que as minas (nascentes) de água da cidade estão sob suspeita e algumas até interditadas. 
E o banho? Com esse “calorão” que anda fazendo, até que poderíamos pensar em tomar banho no ribeirão para economizar água. Mas em qual ribeirão? No Ribeirão da Veinha ou no Chico Pedro? Acho que nenhum dos dois! A não ser que se queira fazer tratamento de pele com estrume humano...
Como podemos ver, várias outras atividades ficarão altamente prejudicadas com a possível falta de água no carnaval. Na verdade, toda a vida no planeta Terra depende da água. Onde não há água, não há vida! Então teremos um carnaval sem vida?
Espero que não! Mas, por via das dúvidas já adquiri um kit de sobrevivência no deserto: muita água mineral, comida em profusão, carne de montão e gás para o fogão. Além, é claro, do carvão.
Mas, se realmente faltar água, ainda não tenho solução para o banho das visitas... Acho que o jeito é rezar para chover muito nos próximos dias...