ACADEMIA MUZAMBINHENSE DE LETRAS SONHO REALIZADO E CONSOLIDADO

Publicado em 23/07/2010 - ze-nario - Zé Nário

Todos os leitores que manuseiam este jornal sabem que o dia 17 de Julho de 2009 foi perpetuado na história de Muzambinho. Naquela data, nas dependências da Casa da Cultura, foi realizada a solenidade de fundação da Academia Muzambinhense de Letras (AML), congregando os escritores e poetas locais.
A emoção tomou conta do salão nobre da instituição, com vários pronunciamentos dos acadêmicos, dos membros da Mesa Diretora e do público presente. E cada um dos homenageados lutou de forma particular com sua emoção. Eu, particularmente, travei uma luta ferrenha com meus sentimentos e quase fui vencido pelo pranto.
Resisti bravamente, mas não ousei usar da palavra para os agradecimentos devidos, com receio de perder o controle das lágrimas. Quando a fala foi franqueada aos acadêmicos, eu comecei a lutar com a minha timidez. Queria usar da palavra somente para agradecer a lembrança do meu nome para tão importante distinção, mas não consegui. Minha timidez venceu e eu não realizei aquilo que deveria ter feito naquele momento. Mas o faço agora, agradecendo a esses abnegados que ousaram colocar em prática essa tão feliz ideia. E agradeço por dois motivos. O primeiro é a realização de um sonho de todos nós envolvidos com a milenar arte da escrita, em prosa ou poesia. O segundo motivo é a lembrança do meu nome para compor junto aos demais e formar essa pioneira agremiação.
E o faço por uma razão especial: não sou natural de Muzambinho, residindo aqui ainda há pouco tempo. Talvez fosse para me sentir um estranho no ninho naquela ocasião. Mas não foi assim! Sempre tive muitas amizades aqui e me senti perfeitamente à vontade. E sou muito feliz não só pela quantidade, mas também pela grande qualidade dessas amizades, agora enriquecida ainda mais.
Por tudo isso, agradeço aos membros da comissão fundadora e membros da Diretoria da AML, Dr. Otonelson Eduardo Prado     (1º Secretário), Júlio César Gonçalves (2º Secretário), Dr. José Roberto Del Vale Gaspar (1º Tesoureiro), Marcos Navarro Milliozi (2º Tesoureiro), Profa. Maria Antonieta Coimbra Campedelli (Diretora de Relações Públicas), Prof. José Salles de Magalhães (Presidente do Conselho Fiscal) e aos demais membros do Conselho Fiscal (Nelson de Lima Damião, Nilson Luis Bortoloti, Antonio João Salvador, João Batista da Silva e Regina Benassi).
Faço-me plenamente reconhecido e agradecido aos colegas acadêmicos que me aceitaram entre seus pares. São eles, em ordem alfabética: Amir Além Aquino, Ana Maria Alves Dias, Estevão Bortolotti (Tézo), Fabíola Pafume Durante dos Reis, Flávio Umberto Moura Schimidt, Ivon Waldete Vieira (Vonzico – Vice Presidente), José Donizete Otávio (Pelézinho), Lúcia Cardoso Vieira de Oliveira, Marco Antonio Vilas Boas, Maria de Lourdes Armelim Martins (Presidente da AML), Maria Ignez Bócoli Martins, Paulo Dipe, Pedro Pioli Neto, Zilda dos Reis Rios. 
Agradeço também, de forma especialíssima, ao amigo Vagner Alves e a toda a equipe do semanário “A Folha Regional”, onde sempre me foi disponibilizado um valiosíssimo espaço para divulgação das minhas ideias, sem o qual certamente não teria chegado a ocupar uma das cadeiras desta nobre instituição, a Academia Muzambinhense de Letras. Agradeço também de forma especial ao meu amigo e mestre de cerimonial Amauri Jr., pela homenagem com a qual me distinguiu durante a solenidade de fundação, deixando-me ainda mais sem fala pela emoção.
Há de se estranhar que eu, um ano após o acontecimento e depois de outras importantes reuniões da Academia, venha agora a remexer o assunto. Explica-se: como alguns dos acadêmicos são também colaboradores deste jornal, deixei para eles a missão de divulgar e comentar o acontecimento de forma imediata, logo após a fundação da AML. Por isso não estou entrando em detalhes daquela cerimônia de doze meses atrás.
Na presente oportunidade quero apenas agradecer a todos, repito, pela deferência com a qual fui agraciado e também falar um pouquinho da emoção que nos envolveu, emoção que foi repetida em várias outras oportunidades. Tenho certeza que este assunto não se esgota aqui e certamente voltaremos a ele.
Muitas novas emoções e ocorrências fortuitas, creio, serão geradas por acontecimentos e projetos da AML, justificando plenamente a sua fundação.
Mais uma vez, obrigado a todos!