A Voz de Todos - Edição 1059

Publicado em 07/10/2011 - vonzico - Ivon W. Vieira (Vonzico)

PENSAMENTO DA SEMANA: “Tudo o que é realizado com má vontade, tornar-se-á cada vez mais difícil.” (Todos nós)

PELO MENOS NO QUE DIZ A CARDÁPIO ESTAMOS BEM – Felizmente, como sempre, nossa cidade mantém a tradição de “se comer bem”, pois nossos restaurantes nos oferecem pratos deliciosos, com o tempero mineiro, onde pratos típicos de nossa região satisfazem aos mais exigentes paladares, haja vista que muitos vizinhos nos visitam nos fins de semana para degustarem os pratos suculentos de nossos restaurantes e até de bares, incluindo nossas lindas padarias com guloseimas de alto padrão. Na questão alimentar não ficamos devendo nada às nossas vizinhas. Venham sempre, que não se arrependerão!

VAMOS INSISTIR: NOSSO FUTEBOL ACABOU DE VEZ? – Aos domingos e feriados a cidade e os bairros, inclusive os da zona rural ficavam “apinhados” de gente para assistir grandes porfias futebolísticas, ma de uns tempos a esta parte tudo ficou parado e não se ouve nenhum comentário a respeito e as tardes de domingo, somente são salvas com jogos na TV. Onde andam os grandes esportistas do Alto do Anjo, da Barra Funda, Brejo Alegre e da Zona Rural? Não existe na Prefeitura um departamento de esportes? E os colégios não tem mais aulas de educação física? Muzambinho sempre foi destaque com grandes esquadrões de futebol, mas parece que vivemos em outra cidade e não se ouve nada a respeito? A juventude hoje não gosta de esportes? Lembram quando nos treinos sobravam jogadores e os treinadores ficavam sem saber o que fazer, de tantos craques? Grandes famílias de futebolísticos: a nossa família, os Bonelis, os Montanari, os Borelis, os grandes jogadores do Batalhão e da zona rural, aposentaram todos? E o Departamento de Esportes (se é que existe) da Prefeitura e dos Colégios?

O QUE AINDA SALVA É A NOSSA QUERIDA “FOLHA REGIONAL” – Lembram quando tínhamos “O Muzambinho”, “O Muzambinhense”, “O Imparcial” e outros que nos fogem à memória? Devemos reverenciar o nosso amigo e conterrâneo Vagner Alves e sua coesa equipe, por manter a nossa querida “Folha Regional”, com lutas, sacrifícios, mas sempre mantendo firme e forte, dando notícias de nossa cidade e da região, todas as semanas. Parabéns efusivos, pois não é fácil manter um periódico por tantos anos, e sempre num diapasão de progresso, galhardia e principalmente isenta de partidarismo e protecionismos. Avante querida “Folha Regional!” É com orgulho que temos um espaço semanalmente para comentarmos o que acontece em nossa terra e região.

MUZAMBINHO, A CIDADE QUE TINHA! – Outrora nossa querida terra tinha o epíteto de “Atenas Sul Mineira”, em razão de seus estabelecimentos educacionais, de onde vinham alunos de todos os quadrantes do Brasil aqui estudarem, mas de uns tempos a esta parte todo mundo, e até o apelido de “a terra que tinha” pegou, infelizmente. Lembram da Fábrica de Doces, cantada em prosa e verso por estes brasis afora? Dos teares e suas belas peças? Das olarias, fábrica de calçados? De tecidos, malhas e crochês? E artesanato então era famoso! Até as festas tradicionais acabaram de vez? Lembram da escolha das rainhas e misteres? Dos jogos entre Azul e Vermelho do Colégio Salatiel e do Esparta e Atenas? Dos desfiles de cavaleiros? E as tardes esportivas no Estádio Antônio Milhão entre Atlético, Cruzeiro, Alto do Anjo, Comércio e esquadrões da zona rural? E os jogos eletrizantes de basquete entre moças? E a Corrida de São Silvestre na passagem do ano? Lembram do Angu, Maé, Ivalmo, Paradinha e outros atletas de renome? E a escolha das rainhas, onde belas jovens desfilavam, e entre elas Mirtes Gonçalves Siqueira e Nininha Martins balançavam os corações da juventude masculina? Precisamos voltar a um passado de glórias, ou estamos errados? E os saraus da Escola Agrotécnica e as exposições de flores e bordados? E os almoços na Escola Agrotécnica? E falar nela, e o esquadrão de futebol dos velhos tempos? Podem nos chamar de “saudosista”, mas que dá saudade não há a menor dúvida. Como disse certa vez nosso conterrâneo Dito Dino: “Muzambinho, a terra que tinha!”. Alô autoridades civis e escolares vamos dar uma guinada e voltarmos aos dias de glória? Até as festas de “barraquinhas” estão acabando, que pena!

VAMOS REPETIR ATÉ A EXAUSTÃO: ASFALTO JÁ! – Chega de trepidação, chega de barulho ensurdecedor! Chega de paralelepípedos! Muzambinho com belas vias públicas tais como Avenida Américo Luz, ruas Tiradentes e Sete de Setembro, Praça Pedro de Alcântara Magalhães e muitas outras, merece asfalto. O tempo das pedras que foram colocadas em boa hora, já está ultrapassado, e entra prefeito e sai prefeito e tudo continua na mesma? Que tal o nosso amigo e querido Esquilo não seja o autor de tal façanha? Vamos caminhar com o progresso ou ficaremos tão atrás de nossas vizinhas, que jamais serão alcançadas? Vamos pelo menos estudar o assunto?

PIADA DA SEMANA: PAPAGAIO QUE FALA DIVERSAS LÍNGUAS – Estava o vendedor mostrando as qualidades do papagaio a um cliente: se a gente levanta sua asa direita, ele fala em inglês, explicou: Do you like me? A seguir, levanta a esquerda e a ave fala em francês: Bonjour, madame! O vendedor levanta a perna esquerda e ele diz em espanhol: Tenga uno Bueno dia, senhorita. Nisso, o cliente, impaciente, pergunta: E se ele levantar as duas pernas ao mesmo tempo: O papagaio responde: Ai eu caio, né sua besta!