A Voz de Todos - Edição 1035

Publicado em 20/04/2011 - vonzico - Ivon W. Vieira (Vonzico)

PENSAMENTO DA SEMANA – “Um verdadeiro líder está pronto a baixar sua cabeça, quando estiver errado” (Todos nós).
SAUDADE DAS SEMANAS SANTAS DE OUTRORA – Na nossa infância e juventude, lá pelos idos de 1930/40/50 a cidade de Muzambinho ficava toda engalanada durante as comemorações da “Semana Santa” e os moradores da zona rural alugavam casas e traziam seus familiares, muitos visitantes aportavam por aqui, e defronte a Igreja Matriz muitos atores repetiam as fases da crucificação de Cristo, e a cidade ficava em polvorosa. Hoje, pouca coisa acontece, a não ser as missas e rezas, o que nos causa uma melancolia e saudade daqueles belos tempos que parecem, não voltam mais. É uma pena, pois tudo era muito bonito e a Semana Santa era um ponto alto de religiosidade. Será que algum dia voltaremos àqueles bons tempos? Com a palavra quem de direito!

E AS TARDES ESPORTIVAS, ACABARAM DE VEZ? – Lembramos com saudade das tardes no Estádio Antônio Milhão, quando na juventude disputávamos partidas memoráveis de futebol contra times das cidades vizinhas, e a torcida toda animada comparecia. Muitos dirão que vivemos no passado, mas que dá saudade, não tenham a menor dúvida. Bons tempos aqueles. E o que nos causa mais tristeza é que temos diversos educandários, muitos alunos que poderiam disputar jogos, não só de futebol, mas de basquete, vôlei, corridas e nada acontece! Nas escolas não tem professor de educação física? No nosso tempo tinha, e eram muito bons, a partir do curso primário. Que saudade de D. Maria Paolielo, Antônio Milhão e até do Tiro de Guerra. Uma cidade que já foi berço da educação do Sul de Minas não pode ficar no ostracismo! Até na zona rural tínhamos grandes times de futebol. Acabaram de vez?

AS FESTAS DO PEÃO DE BOIADEIROS, ONDE FORAM PARAR? – Os desfiles de cavaleiros, as atrações musicais com grandes cantores sertanejos, concurso de rainha e princesas, acabaram de vez? E o Parque do Peão ainda existe? É uma pena, pois lembramos com carinho quando centenas de visitantes vinham nos prestigiar e a cidade ficava abarrotada de gente. Tudo por aqui começa com grande barulho e acaba num fechar de olhos. Lamentável. E as festas do Doce de Leite, do Artesanato, desfiles de flores e cães, tudo caiu no esquecimento? Certa vez alguém já escreveu “Que Muzambinho era a terra que tinha”, e parece que previa algo de ruim. Vamos tomar pulso, mormente as pessoas que comandam, e fazer tudo voltar? Com a palavra de quem de direito!

O QUE AINDA SALVA É “A FOLHA REGIONAL” (DIA 07 DE MAIO) – A única coisa real que ainda mantém Muzambinho na frente de algumas cidades é o nosso semanário, que com lutas e vitórias, mantém a cidade em evidência e dentro de poucos dias, no início do próximo mês, comemorará seu 21º aniversário de fundação, e esperamos a visita de grandes amigos e colaboradores. É realmente uma vitória inconteste do diretor Vagner Alves e toda sua equipe, que procuram trazer e levar a notícia a toda região que o jornal abrange, mantendo-se eqüidistante de partidos políticos e procurando sempre o bem informar. Parabéns antecipados! Esperamos o comparecimento de ilustres convidados.

GRANDE EMPREENDIMENTO EM MUZAMBINHO: PRÉDIO DE 14 ANDARES – Parabéns aos muzambinhenses, grandes empresários, Valdeci Henrique Dias e Créucio de Oliveira, que estão imbuídos e com grande vontade férrea de construírem um prédio de quatorze andares, na Praça Pedro de Alcântara Magalhães (Jardim), cuja maquete foi publicada na FR anterior. São pessoas de quilates dos jovens empreendedores que engrandecem sobremaneira suas atuações como comerciantes de alto gabarito. Dentro em breve mais um belo prédio  embelezerá nossa praça do Jardim, uma das mais belas da cidade. Parabéns efusivos. Eta Muzambinho danada, que sempre teve homens de visão à frente do seu tempo!

BELO PROJETO DO PRÉDIO DA PRAÇA PEDRO DE ALCÂNTARA – Os muzambinhenses, o construtor Niquinho (Américo Lázaro) e a arquiteta Patrícia Rossi, são os responsáveis pelo projeto para construção do prédio da Praça Pedro de Alcântara Magalhães (Jardim), cuja maquete foi publicada na FR da semana passada. São profissionais de gabarito, que naturalmente darão todo respaldo na execução da obra que embelezará nosso mais belo logradouro público. São 14 andares, cujo lançamento ocorrerá dentro de noventa dias. O prédio terá uma área de 18 mil metros quadrados; 14 andares, compreendendo 84 apartamentos, de 03 dormitórios e suíte (padrão classe média), além de 22 salas comerciais, dois salões comerciais, 02 sub-solos e garagem para cerca de 90 veículos e uma ampla área de lazer. Portanto, em razão da grande procura, será estruturado um plano de reserva. Acreditando no potencial da população, esperam uma grande fluência de interessados, pois o local é aprazível e central.

CÂMARA DE VEREADORES OU ARENA? – Toda semana temos a tristeza de acompanharmos as desavenças e discussões infindáveis de nossa Câmara de Vereadores, com brigas homéricas, e toda a cidade e todos nós ficamos à mercê de tais desatinos. Será que não há a possibilidade de uma união entre todos, visando o bem estar e o progresso da cidade, esquecendo-se possíveis questiúnculas pessoais? É como diz aquele velho adágio e comentário popular: “Existe algo de podre no reino da Dinamarca”, querendo dizer que existe alguma coisa errada em nossa Câmara de Vereadores, e todos nós que não temos nada com isso, pagaremos por tudo. Que tal um acordo de cavalheiros? Aguardamos notícias!

E OS PARALELEPÍPEDOS CONTINUAM DESALINHADOS – Já que não pretendem asfaltar nossa Avenida e Rua Tiradentes, muito menos a Praça Pedro de Alcântara Magalhães, que pelo menos tomem uma providência urgente no sentido de nivelarem os paralelepípedos,pois do jeito que estão, tornam-se as vias intransitáveis e até rachaduras provocam nos prédios devidos os “solavancos” dos veículos. Que tal uma vistoria de quem de direito? Ou não existe uma pessoa responsável para tal propósito? Aguardamos notícias e que sejam as melhores possíveis. Como otimistas que somos, contamos com tais atitudes dos responsáveis! Ou estamos errados?

PIADA DA SEMANA: AMIGO OU DA ONÇA? – De partida para a guerra, um soldado ciumento, temendo ser traído pela esposa, resolveu colocar um cinto de castidade nela. Antes de partir, ele em dúvida: Não é justo – pensou ele: Posso morrer na guerra e minha mulher ainda é jovem. Já sei, darei a chave ao meu amigo de confiança e, se algo acontecer comigo, ele poderá soltá-la. Assim ele fez. No dia da partida, mal tinha cavalgado uns poucos metros e ouviu a voz do amigo, que corria desesperadamente em seu encalço. O soldado perguntou, espantado. Que aconteceu, o que houve? E o amigo respondeu, totalmente sem fôlego. Companheiro, você deixou a chave errada!