A Voz de Todos - Edição 1031

Publicado em 25/03/2011 - vonzico - Ivon W. Vieira (Vonzico)

PENSAMENTO DA SEMANA – “O melhor amigo é aquele que nos faz melhor do que realmente somos” (Rui Barbosa)
DIA 19 DE MARÇO: DIA DO PADROEIRO DE MUZAMBINHO – Dizem os compêndios que ilustram a história da cidade de Muzambinho, que numa tarde, quando em 1852, no dia 19 de março, o fazendeiro Pedro de Alcântara Magalhães, que procurava terras para comprar e estabelecer uma fazenda, resolveu descer de seu cavalo e descansar um pouco, e ao acordar descortinou um por do sol que jamais havia presenciado, e como era o Dia consagrado a São José, resolveu dar o nome ao local de São José da Bela Vista em homenagem ao Santo. Como todos já sabem ou já ouviram dizer, daí no futuro surgiu a nossa querida Muzambinho, cujo nome foi uma corruptela de “Mocambinho”, em razão dos escravos que residiam no local denominado “Brejo Alegre”, e com o tempo o nome foi ajustado para Muzambinho que soava melhor. Esta história da cidade já foi cantada em prosa e verso por diversos escritores, inclusive por nós em alguns artigos publicados na “FR”. Portanto, em razão a Igreja Católica local considerou como padroeiro da cidade São José, o que perdura até os dias de hoje. Outros historiadores dizem que o nome dado de início foi São José da Boa Vista, ao contrário de Bela Vista, o que vai dar mesmo. Há controvérsias a respeito, mas a verdade é que o nome MUZAMBINHO foi aperfeiçoado sobre MOCAMBINHO. Exemplo está que temos um bairro com o nome de MOÇAMBO (com cedilha). Por ai se vê que a nossa história é interessante e cheia de nuances extraordinárias.

VAMOS REPETIR ATÉ A EXAUSTÃO: CÃES NAS RUAS – Vamos insistir até a exaustão, antes que algum cão sarnento, que perambula pela cidade, ataque alguém principalmente em nossa Avenida Américo Luz, juntamente com dezenas de outros, rasgando sacos de lixo e pondo em risco a população, pois alguns são ate agressivos, e em sua maior parte são de grande porte, como dizem uns “cachorrões” de dar medo. Esperamos que as autoridades responsáveis tomem uma providência a fim de retirá-los, antes que algo mais grave aconteça. É pedir muito? Com a palavra quem de direito!

E TUDO VAI CAINDO NO ESQUECIMENTO. QUE PENA! – Nos primórdios de nossa cidade as datas religiosas e cívicas eram comemoradas dignamente, mas de uns tempos à esta parte, tudo é esquecido e somente uma lembrança paira no ar. Será os sinais dos tempos? Precisamos insistir e voltar a comemorar tais efemérides, pois um povo que não reverencia a sua fé, sua crença, seu patriotismo, e amor à sua terra natal, torna-se indigno e como diz aquele velho pensamento: “Passou pela vida, não viveu”. Uma cidade, culta, com grandes estabelecimentos escolares, de tradições mil, não pode e não deve passar em branco comemorações que engrandecem a alma e o amor a tudo que nos cerca. Aguardamos notícias!

DEUS ESTÁ SEMPRE EM NOSSAS VIDAS – SOCORRO – Nas horas serenas, agradecer a Deus. Nos momentos de crise, confiar em Deus. Nos instantes de decisão, esperar por Deus. Nos problemas da vida, soluções em Deus. E nos erros e nas falhas, recomeçar com Deus. E para nosso consolo, temos a seguinte prece: Como estiveres, Deus te guarde. Como penses, Deus te use. Onde te encontres, Deus te ilumine. Com que estejas, Deus te guie. No que fizeres, Deus te ampare. Em todos os teus passos, Deus te abençoe. Portanto, mantenha-se firme na fé, seja qual for a sua religião, pois Deus é um só, e ama a todos sem distinção de cor, raça ou credo.

CARLOS MELLES: O DEPUTADO DO EMPREGO E RENDA – Temos em mãos um folheto com a foto do Deputado Melles, no qual ele promete uma atuação decisiva nos maiores projetos de inclusão social. Como ele recebeu uma votação sugestiva em Muzambinho, esperamos que ele jamais nos esqueça e dentro de suas possibilidades, tudo faça e consiga para o benefício de nossa cidade e de toda a região que ele representa. Devemos confiar em sua gestão e contamos com sua atuação, aliás, sempre brilhante.

NOSSOS CAUSOS E HISTÓRIAS NA FOLHA REGIONAL – Recebemos uma ligação de Campinas, de um senhor de nome Carlos Américo Silva, que se diz filho de Muzambinho, e que se deliciava com nossos “causos”publicados na FR e de há muito não tem sido, e que está sentindo falta. Enviamos a ele um exemplar de nosso livro de “causos” e ele nos telefonou agradecendo. Entraremos em contato com o Diretor da FR e em breve publicaremos novos causos do folclore mineiro e brasileiro. Obrigado pelas referências. É a nossa FR ultrapassando fronteiras!

NOSSO NETO PEDRO EM PORTUGAL – Nosso neto, herdeiro de nosso filho Paulo César, que está estudando em Coimbra, Portugal, nos telefonou pedindo que enviássemos sempre exemplares da FR, e que ficou alegre e satisfeito com as ilustrações sobre o carnaval, que pelo visto foi um sucesso. É o nosso jornal ultrapassando oceanos.

TELEFONEMA MALCRIADO, QUE PENA! – Recebemos um telefonema, pasmem, depois da meia-noite, de uma pessoa que não se identificou, dizendo palavrões, inclusive pedindo para que candidatássemos a cargo político, para que ver que não é fácil dirigir uma cidade. Usou palavras de baixo calão, inclusive nos ofendendo e mandando que fossemos trabalhar, ao invés de “escrever besteiras” e contar uns “causos sem graça”. Ficamos tristes, pois quem se esconde atrás do anonimato não é digno e não merece a menor atenção. Estamos registrando tal fato para que não mais aconteça. Se alguém tiver alguma reclamação, não gostar do que escrevemos ou comentamos, que o faça pessoalmente e corrigiremos o que estiver errado, pois não pretendemos ser o “dono da verdade” e somos falhos como qualquer ser humano e naturalmente se estivermos errados, saberemos reconhecer as falhas. Esconder no anonimato não é digno. Lamentável!

PIADA CONTRA OS BRASILEIROS: PEGA LADRÃO – Cientistas testaram em Nova York uma máquina desenvolvida para apanhar ladrões. Com um sistema revolucionário, a invenção capturou 1.500 ladrões em apenas cinco minutos. Resolveram então levar o aparelho e testá-lo na China. Resultado: em três minutos foram pegos 2.000 ladrões. Para o próximo teste escolheram a África do Sul, onde a máquina apanhou 3.000 ladrões em questão apenas de dois minutos. O último e derradeiro teste foi aqui no Brasil. Os cientistas desembarcaram em Brasília. Resultado: Em um minuto, roubaram a máquina. Piada publicada em jornal de São Paulo.