A Voz de Todos - Edição 1027

Publicado em 01/03/2011 - vonzico - Ivon W. Vieira (Vonzico)

PENSAMENTO DA SEMANA – “Frequentemente, a felicidade bate à nossa porta, mas quando conseguimos abri-la, já se foi”. Cuidado! (Todos nós)
O “GIGANTISMO” DE NOSSO CARNAVAL PREOCUPA! – De uns tempos a esta parte o carnaval de Muzambinho tem atingido proporções fantásticas, no que concerne no aumento da população, com pessoas vindas de todos os lados, pois nas cidades vizinhas quase nada acontece, e os festejos de Momo em nossa cidade são realmente extraordinários, com bela organização, escola de sambas bem estruturadas, população ordeira e feliz em receber os visitantes, mas o crescimento por vezes nos trás preocupações, pois elementos de má índole se aproveitam e comparecem, não para se divertir ou brincar, mas para provocar atritos e até assaltos nas casas. Assim sendo, pedimos aos responsáveis que tomem todas as providências cabíveis, com policiamento ostensivo, não só do destacamento policial, mas também com a contratação pela Prefeitura de seguranças gabaritados para que todos nós e as respectivas famílias possam viver momentos alegres e descontraídos, com a certeza de estarmos bem resguardados e possamos deixar nossos familiares, mormente os mais jovens, se divertirem tudo dentro da maior ordem e confiança. Aguardamos notícias e providências. Temos certeza que os visitantes serão bem recebidos e que voltem sempre!

JÁ PENSARAM NOSSA AVENIDA AMÉRICO LUZ TODA ASFALTADA? – Sonhar é preciso e enquanto estiver por aqui, comentaremos sempre sobre a possibilidade de algum dia um prefeito (que tal o atual?) pensar em asfaltar a nossa principal artéria, que por sinal é uma das mais belas de toda nossa região. Tudo tem o seu tempo, a terra batida, os paralelepípedos e que tal agora o ASFALTO? Vamos marchar com o progresso e nossa querida terra merece sempre ou melhor, ou não? Com a palavra quem de direito. Vamos pensar no assunto?

PREVENIR AINDA É O MELHOR REMÉDIO! – Como todos sabem, o carnaval provoca excessos  por pessoas desavisadas, ou que já vem para provocar atritos e bagunças, e as autoridades precisam estar atentas, pois centenas de amigos de familiares ausentes virão nos visitar e devemos proporcionar-lhes a melhor recepção. Contamos com atenção das autoridades e mesmo da população. Vamos receber os visitantes com carinho, mas repudiando sempre os maus elementos que por vezes se infiltram na multidão.

SENTI O MESMO QUE O JOGADOR RONALDO FENÔMENO – Há muitas décadas, quando tínhamos 24 anos de idade e jogávamos futebol, inclusive na seleção de Muzambinho, ao lado de grandes jogadores como Corote, Sebastiãozinho, Pereira, Arthur Boneli, Paiva, Almírio e Duílio Borelli, Broim; Dedém, Paulo, Pedro Costa, Volnei e Laninho Ornelas, Damiro Tardellli, Lala, Márcio Delega, Nen Tatu, Goimy Rondinelli, Eduardinho Amaral e Itaci, Cely, Jamilinho, Luiz Quirino, Paulo Borges e Ico de Guaxupé, bem como o goleiro Gregório, Nego da Juréia, eis que sentimos uma dor no peito e após alguns exames foi constatado que tínhamos um pequena dilatação no coração e com esforço do futebol, poderíamos ter um infarto ou coisa parecida e por conselho médico, após exames em São Paulo, ficamos impossibilitados de praticar esportes, e demos adeus ao futebol que tanto gostávamos de praticar. Foi uma “pancada”, pois estava noivo e a tristeza se abateu sobre nós e até choramos, mas por prudência deixamos de praticar o futebol que tanto amávamos. Assim sendo, podemos aquilatar a tristeza do Ronaldo em plena juventude, como nós na época, em deixar de praticar o que mais gostávamos em comparecer nas tardes de domingo no Estádio Antônio Milhão e na presença de animada torcida defender as cores de Muzambinho em toda a região. Mas a vida por vezes nos presta um susto, mas o que vale é continuarmos vivos, e Ronaldo também encontrará o seu novo caminho, como foi o nosso caso. Quando assisti o choro  do Ronaldo na TV voltamos ao passado e nos vimos e sentimos o que há muitas décadas cortou na própria pele sermos alijados de praticar o esporte que desde a infância praticávamos e modéstia a parte, com algum êxito, pois tanto em São Paulo como em Muzambinho e nas cidades vizinhas, sempre estávamos entre os times principais. A saudade mata a gente dizem os poetas, mas a vida continua e Ronaldo também encontrará o seu caminho, agora fora dos campos. É duro, mas ele acostumará, como nós acostumamos há muitos anos.

VISITAS DE ALUNO EM NOSSA RESIDÊNCIA – Tivemos o prazer de receber diversos alunos das escolas primárias de Muzambinho, que estavam interessados em conhecer um pouco da história de Muzambinho, dos lances folclóricos e esportivos do passado, e num ambiente alegre e descontraído passamos momentos que nos transportaram para a juventude quando tudo era “risonho e franco”. Estamos sempre às ordens das escolas, para comentarmos sobre o assunto atinentes à nossa querida Muzambinho, seu povo e tradições.

E O FUTEBOL DE MUZAMBINHO, ACABOU DE VEZ? – Outrora, num passado não mui distante, as tardes de domingo em nossa cidade era festiva e os campos de futebol ficavam “apinhados” de torcedores, inclusive na zona rural. No entanto, salvo engano nosso, não se ouve falar mais nada, e o nosso futebol está caindo no esquecimento. Será que estamos mal informados? Aguardamos notícias, pois Muzambinho sempre foi destaque na região, mormente no Futebol, de onde saíram grandes jogadores. Até futebol feminino já tivemos!

E POR FALAR EM ESPORTE: AS COMPETIÇÕES DAS ESCOLAS ACABARAM? – Os jogos entre Azul e Vermelho, no Ginásio Salatiel, as disputas entre outras escolas; gincanas, teatro e vai por aí afora. Não podemos “deixar a peteca cair” como se costuma dizer na gíria, pois uma cidade estudantil como Muzambinho, inclusive com a Escola Agrotécnica onde centenas de jovens sadios e fortes, não podem esquecer do ESPORTE, ou estamos errados? Com a palavra quem de direito. Alô diretores!

QUE TAL ORGANIZARMOS UMA FESTA PARA HOMENAGEAR ESPORTISTAS? – Muzambinho sempre foi uma cidade festeira, inclusive com grandes quermesses, festas religiosas, exposições diversas. Que tal alguém se prontificar em organizar uma desta para homenagearmos esportistas que sempre elevaram o nome da cidade por estes brasis afora? Podemos fazer uma relação de pessoas que de uma forma ou de outra sempre engrandeceram o nome da cidade no âmbito esportivo. Não podemos deixar cair no esquecimento aquelas pessoas que batalharam para engrandecer o nome da nossa cidade. Vamos fazer tudo para que Muzambinho volte a ser a “Meca” em nossa região, não só no âmbito cultural, mas também no esporte!

MUZAMBINHO ESTÁ PREPARADA COM RESTAURANTES E BARES – Para receber os visitantes e muzambinhenses ausentes no período do carnaval, nossa cidade está preparada no que concerne a bons restaurantes, bares, lanchonetes e todos poderão ser bem atendidos, pois a comida mineira apregoada em todos os lugares, será mais um atrativo para quem vier nos visitar no período carnavalesco. Que venham e se divirtam, e apreciem o “tutu de feijão”, a “carne assada”, o “franguinho” e a boa educação do mineiro em bem servir na parte gastronômica, sem esquecer do “angu e do quiabo”, lingüiça e carne de porco. Que dá água na boca a gente ano pode negar!

O FUTEBOL BRASILEIRO EM PLENA DECADÊNCIA? – Em tempos imemoriais o futebol brasileiro era considerado o melhor do mundo, e hoje o que vemos são times fracos, jogadores medíocres, e alguns melhores vão para o exterior e mesmo lá não estão agradando. Não há renovação e somente alguns veteranos sobressaem. Os times do Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre, que são ou eram consideramos os bons, estão fracos, e dá pena a gente assistir pela TV alguns. Que saudade dos grandes craques, e até o Ronaldo que era um dos que se salvavam, deixou os campos. Vamos aguardar, mas os bons tempos já passaram!

PIADA DA SEMANA: PIADA CRETINA – Numa reunião de amigos, tinha um que se achava o melhor contador de piadas, e não parava de contá-las, engraçadas ou não. Um dos presentes, já cansado de ouvir tantas “baboseiras” disse, interrompendo o contador de piadas que não parava: “Você conhece a PIADA DO ELEFANTE?”. O rapaz surpreso, respondeu: “Não, esta eu não conheço!” “Pois é, o Elefante não pia”. Depois desta, mudaram de assunto!