A Voz de Todos

Publicado em 28/01/2011 e atualizado em 28/01/2011 - vonzico - Ivon W. Vieira (Vonzico)

PENSAMENTO DA SEMANA: CUIDADO COM AS PALAVRAS – “As palavras ditas em hora inoportuna, são idênticas a uma ABELHA, têm mel e ferrão que fere profundamente”. (Todos nós).

NARCISISMO À TODA PROVA. QUE PENA! – Tem gente que vive defronte o ESPELHO achando-se o maior ser humano, o mais inteligente, o mais perspicaz, e que os demais são apenas figurantes, meros coadjuvantes, o que nós dá pena, ou melhor, dó mesmo. O orgulho sobe à cabeça de certas pessoas que se acham superiores e os demais “um nada”, “um zero à esquerda”, como se costuma dizer na gíria geral. Existem aqueles que atingem certas posições por merecimento é verdade, mas onde tem suas raízes e são conhecidos no âmago, são rejeitados não por sua capacidade, mas pelo egoísmo e pose que aparentam para tentar impressionar os mais incautos. Será que estamos comentando sobre algum que se acha o “maior dos homens”, ou é apenas um comentário despretensioso que estamos fazendo? É! Como diz o velho adágio popular: Existem bobos para tudo!

 

NOSSO JARDIM MERECE MAIOR ATENÇÃO – Andando pelo nosso Jardim da Praça Pedro de Alcântara Magalhães, que fica defronte a Prefeitura Municipal, ficamos tristes, pois sua via principal está toda esburacada, dificultando o trânsito de pessoas. Será que não existe um FISCAL para ver e levar ao conhecimento de quem de direito? Aguardamos providências, pois nosso Jardim, de tradições mil, é um dos lugares mais bonitos da cidade e merece nosso carinho e atenção, ou não?

 

“OS CÃES LADRAM, E A CARAVANA PASSA” – No livro do escritor “Malba Thalan” onde conta peripécia sobre os árabes, ele usa a frase acima, para diferenciar as pessoas que tem por hábito difamar as pessoas; vive procurando falhas e não méritos no seu semelhante, sempre com o intuito de denegrir a imagem de quem não gosta. Ele quer dizer que as pessoas hipócritas, sem nenhum valor, vivem falando ao vento o que lhe vem a mente, mas tudo continua e no final sempre vence o melhor, com dificuldades é claro, mas a verdade sempre predomina. E enquanto os cães ficam ladrando, a caravana continua na sua trilha, não dando a menor atenção aos latidos, ignorando-os por completo, e é o que se deve fazer quando alguém procura nos fazer algum mal, e tudo passa e quem fica mal no caso é o “que fica ladrando ao vento”! Bela comparação não?

CONVITE PARA CONTAR NOSSOS “CAUSOS” EM SÃO PAULO – Recebemos um convite da escola onde nossa neta Paula estuda, para que numa semana que tratarão de nosso folclore, volte lá, pois já estivemos em outra oportunidade, para que junto com outras pessoas, contássemos alguns “causos”. Se tudo correr nos conformes, estaremos lá, com muito prazer. Como o fizemos também aqui em Muzambinho e Guaxupé, quando fomos convidados.

E POR FALAR EM “CAUSOS”, NOSSO NOVO LIVRO ESTÁ PRONTO – Se tudo correr bem, até o fim deste ano, um novo livro nosso sobre “causos e estórias” será editado, visto que o primeiro foi de agrado de muitos, o que muito nos envaideceu. É sempre bom a gente manter viva as aventuras de nossos antepassados, e seus contos de “assombração, mula sem cabeça, lobisomem, Saci-Pererê” e vai por ai afora. Não podemos deixar cair no esquecimento tais peripécias, pois quando não tínhamos TV, as noites eram aproveitadas para se contar “causos”, ao lado de uma fogueira, muito biscoito, broas e quentão. É um passado que vivemos na infância, não só em Muzambinho, como Nova Resende, Monte Belo e São Paulo. A “saudade” mata a gente, como diria um poeta.

HINO DE MUZAMBINHO, LETRA E MÚSICA DE LILIA BARBOSA MANTOVANI – Há duas semanas umas alunas nos procuraram para saber se tínhamos a letra do Hino de Muzambinho, composto por Lilian Barbosa Mantovani e lhes entregamos algumas cópias que tínhamos em nosso arquivo. Assim sendo, para que muitos tomem conhecimento, transcrevemos a seguir o HINO DE MUZAMBINHO, que é muito lindo.

HINO DE MUZAMBINHO (Letra/Música: Lilian Barbosa Mantovani)

Muzambinho querida te saudamos

No compasso viril desta canção

Declaramos amar-te com carinho

Por orgulho, dever e emoção.

Estribilho

Teu passado de glória está presente

És um marco na História do Brasil

Sempre forte e veraz é tua gente,

É um povo de heróis e feitos mil,

Teu passado de glória esta presente

 

És um marco na História do Brasil

Os teus filhos na guerra pelejaram

Na defesa sem par da integridade:

Na memória para sempre conservaram

 

Que é doce viver em liberdade.

Os trabalhos de teus antepassados

Imigrantes, letrados, fazendeiros.

No esplendor e na glória cultivados

Têm agora na Pátria seus herdeiros.

Os teus filhos em todos os setores

Deram sempre de si para a cidade,

Está claro que esses seus labores

Deram frutos, quem colhe é a mocidade.

Deus do céu, dos confins da imensidade,

Fez de ti um farol a iluminar,

Os caminhos corretos da verdade,

Que teus filhos para sempre irão trilhar.

PRÉDIOS ANTIGOS DE MUZAMBINHO

- Paço Municipal (ex-cadeia e fórum) na Praça Pedro de Alcântara Magalhães, construído em 1911 e reformado em 1996.

- Prédio do Grupo Escolar Cesário Coimbra, construído em 1912 e inaugurado em 1915, Praça Pedro de Alcântara Magalhães.

- Prédio da Av. Dr. Américo Luz, construído na década de 1910 pelo Dr. Joaquim Bernardes, ao lado do Ginásio (Colégio Salatiel de Almeida) hoje pertencente à família Pedro Dipe.

- Prédio da Escola Estadual Salatiel de Almeida, construído em 1901, na Av. Dr. Américo Luz.

- Prédio do Clube Recreativo de Muzambinho, Av. Dr. Américo Luz esquina com Rua Salatiel de Almeida, construído na década de 1910 e reformado em 1950/54.

- Prédio do Clube Automóvel, Av. Américo Luz, onde havia o cinema São José, inaugurado em 1951.

- Prédio do Theatro Bernardo Guimaraes, construído em 1905, onde era cinema e onde ficava a Rádio Rural, Av. Dr. Américo Luz.

- Prédio do ex-Hotel Beato, construído na década de 40 e hoje está sendo usado como restaurante. Av. Dr. Américo Luz.

- Prédio da Rua Tiradentes/esquina da Rua Cel. Francisco Navarro, construído em 1908 pelo Cel. Francisco Navarro de Moraes Salles, e hoje pertence ao Sr. Tião Roque.

- Prédio da Rua Tiradentes/esquina Av. Dr. Lycurgo Leite, construído na década de 20, onde foram instalados diversos bancos e hoje pertence aos irmãos Santini.

- Prédio dos Correios, construído na década de 40, Av. Lycurgo Leite.

- Prédio do Hotel São José, construído na década de 20, Rua Tiradentes.

- Prédio da Casa da Cultura Dr. Lycurgo Leite, foi construído pelo Deputado Lycurgo Leite na década de 20, e em 1996 foi inaugurada a Casa da Cultura.

- Prédio da Igreja Matriz, inaugurado em 1913.

- Prédio da Igreja Nossa Senhora Aparecida, construído entre 1932/5.

- Prédio da Estação Mogiana, hoje ex-Coomam, inaugurado em 1913.

- Prédio do Fórum, construído na década de 60, Rua Aparecida.

- Prédio da Santa Casa, inaugurado em 1926.

- Prédio defronte o Chapéu de Sol, construído na década de 20.

- Casa da Rua Tiradentes, década de 20, construída pelo Sr. João Gaspar.

- Prédio da família Coimbra, Av. Américo Luz, construído na década de 20.

- Casa na Av. Américo Luz, década de 20, construída pelo Sr. José Pioli e hoje está sendo usado pela Prefeitura (Epidemologia).

- Prédio da Av. Américo Luz esquina Lycurgo Leite, década de 20, hoje pertence ao Sr. Rubens Cunha Prado.

- Prédio da Rodoviária, na Av. Frei Florentino, década de 70/80.

- Prédio da Igreja Presbiteriana Independente, localizado na Rua Sete de Setembro (esquina com Av. Dr. Lycurgo Leite), construído após o incêndio do prédio da mesma igreja, na Rua Tiradentes, na década de 50.

PIADA DA SEMANA: ENCONTRO PESSOAL – Um padre, durante uma visita a um presídio, queria abençoar os detentos e ajudar aqueles que estavam condenados à morte. Ao chegar a ala das solitárias, ele viu um condenado e lhe disse: Meu filho, eu vim aqui trazer a palavra de Deus! Com ares de malandro, o preso disse: Perdeu a viagem, chefia. Daqui a pouco encontrarei com Ele pessoalmente.