Faltas de pacientes prejudicam realização de Mutirão de Ultrassom

Publicado em 25/04/2019 - regiao - Da Redação

Faltas de pacientes prejudicam realização de Mutirão de Ultrassom

Poços de Caldas - Oferecer exames com mais agilidade e atender a fila de espera de forma mais rápida: estes são os principais objetivos dos mutirões de ultrassom, realizados no Hospital Municipal Vereador Gilberto de Mattos, o Hospital da Zona Leste. Desde o início de fevereiro e até a terceira semana de abril, foram 1.382 agendamentos oferecidos por meio do mutirão, além dos atendimentos que já ocorrem dentro da rotina. Só que destes 1.382 agendamentos, 988 foram realizados, porque 394 pacientes não compareceram para os atendimentos. Isso representa quase 30% de faltas. “Esta é uma realidade que afeta todos os setores da saúde, desde a atenção básica, passando pelos exames e pelas consultas de especialistas. Sempre que podemos, nós falamos sobre isso e pedimos o apoio da população porque só uma mudança de comportamento dos pacientes vai mudar este quadro. E cada vez que uma pessoa confirma presença na marcação mas não comparece, ela prejudica o atendimento de outras pessoas também”, disse o secretário adjunto de Saúde, Flávio Togni de Lima e Silva. O secretário de Saúde Carlos Mosconi também lamenta o alto índice de faltas. “Os mutirões visam atender a demanda de ultrassom que é grande, com mais agilidade. Mas este comportamento dos pacientes que é constante, infelizmente, prejudica a ação e impede que outras pessoas que estão aguardando, sejam atendidas com mais agilidade também. Isso tem um custo para o sistema e para a qualidade da assistência prestada”.

A ultrassonografia obstétrica é um exame constante do acompanhamento pré-natal oferecido pelo SUS. O Guia Municipal de Pré-Natal de Risco Habitual para a Atenção Básica, baseado em literatura do Ministério da Saúde, prevê duas ultrassonografias, uma no primeiro trimestre da gestação ou até a 13ª semana, e outra, entre a 18ª e a 22ª semana de gravidez. Já os demais exames de ultrassom são feitos por meio de encaminhamentos de médicos das unidades básicas de saúde e de especialistas do SUS.

No mutirão, já foram oferecidas ultrassonografias obstétricas, de abdômen (total/ inferior/ superior), de vias urinárias, mama, transvaginal e de articulações. A fotógrafa Jéssica Muniz da Silva, 24, esteve no Hospital da Zona Leste para fazer um exame de ultrassom do pulso. “Bom que vou voltar no ortopedista já com este resultado”. Quem está na fila de espera e quer mais informações sobre o atendimento, deve procurar a unidade básica de saúde de referência.

ASCOM