PORQUE ESCREVER um artigo

Publicado em 05/08/2019 - ponto-de-vista - Da Redação

PORQUE ESCREVER um artigo

Escrever um texto, uma crônica ou uma matéria crítica sobre determinado evento, o jornalista e ou escritor almeja atingir seu público leitor, compartilhando sua visão. O jornalista escritor não visa agradar ou atingir determinada pessoa ou leitor porque não é seu foco. Desenvolve seu texto no seu raciocínio e sua lógica, como na correnteza do rio: vai fluindo e levando o seu pensamento junto para vários pontos, até agarrar-se a alguma coisa que o impeça de descer rio abaixo. No entanto, enfrenta resistência de desfavoráveis, com críticas que vão e vêm, mas não impedem a continuação desse pensamento. Mesmo em meio à turbulência, segue seu rumo. Desamarra-se, rompe-se a resistência. Não se preocupa se vai ser lido, acessado muitas vezes, elogiado ou questionado. Não importa. A matéria do produto final é o resultado do que o pensador levou aos seus leitores. É a apresentação dos acontecimentos para todos e não para uma minoria, que, eventualmente, pode não ser o melhor projeto. Ou, pelo menos, não corresponder aos objetivos da expressiva maioria. Restringir não é o ideal para uma comunidade no presente. Esta é a razão da existência dos veículos de comunicação e do jornalista: apresentar o que acontece nos bastidores dos órgãos públicos (que estão temporariamente no poder), informar, atualizar, questionar e sugerir o melhor. Eu, quando escrevo, objetivo atingir um público que possa expressar sua crítica, tendo gostado ou não do que foi escrito. Só não aceito pressão conceitual. Preocupa-me a lisura da informação e a liberdade de expressão. É como na Lei Colomb, importante lei da Física, que estabelece que a força eletrostática entre duas cargas elétricas é proporcional ao módulo das cargas elétricas e inversamente proporcional ao quadrado da distância que as separa. Então, quando eu escrevo um artigo, ele é diretamente proporcional a minha visão da realidade e inversamente proporcional às idéias duplamente antagônicas. Meu objetivo é continuar na mesma linha editorial desde há muito; e isso é fácil de resolver, leiam-me ou não, ou então é mudar pra Cuba ou pra Coreia do Norte. “E siga la pelota”.

Fernando de Miranda Jorge

Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – e-mail: [email protected]