O meu, o seu, o nosso inferno

Publicado em 20/04/2020 - ponto-de-vista - Da Redação

O meu, o seu, o nosso inferno

Todo mundo tem o seu inferno. Ninguém escapa. Não somos diferentes. O inferno existe diferentemente na cabeça das pessoas em vários aspectos: as discórdias entre os casais; o endividamento impagável a curto prazo; entreveros entre os membros familiares e amigos, como heranças (é um inferno); as doenças e suas sequelas, bem como acidentes trágicos, mortes prematuras; a ganância; a inveja; o alcoolismo; as drogas... Tudo isso existe. E mais aqueles males congênitos, nascidos com os seres humanos. E mais epidemias, como a atual pandemia do 'medo' – Covid-19. É prova de fogo para a população em isolamento – que sempre deixa um cheiro de fumaça no ar, um modo novo de conviver para todos nós, como aprendizado. Aprendi, nesta situação, que o tempo cura. E hoje é o reflexo de ontem. E o amanhã – a expectativa do surgimento de uma vacina competente contra o vírus do terror. Mais. Tudo depende da vontade de querer viver com saúde e consciente nas atitudes de prevenção. E, assim, o segredo da vida é o tal do bem viver. Você, caro leitor, que está vivendo isso, passando por isso, e está vencendo, é porque tem Fé. E o inferno de todos nós está no não aprender a viver com boa vontade com tudo e como um eterno aprendiz. Ou, então, como nos ensina o Salmo 133, versículos 1, 2, 3: Oh! Como é bom e agradável aos irmãos viverem juntos... E, juntos no distanciamento necessário, vamos ser felizes, vamos ter girassóis no terraço, passarinhos na varanda, cadeiras ou redes com almofadas macias, vinhos e queijos todas as noites. Calma e foco. É por um tempo. Vai passar!


Fernando de Miranda Jorge - Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – e-mail: [email protected]