FAZER juntos

Publicado em 25/09/2017 - ponto-de-vista - Da Redação

FAZER juntos

Seria bom, mas nem tudo se faz juntos. Por quê? Ora, difícil, não acha? Vamos ver. Algumas vezes, fazer juntos é bom e necessário. Estimula e faz com que nos sintamos úteis. Seria divisão de esforços e por que não? É. Um incentiva o outro e a coisa anda, caminha e superamos, porque somos capazes de raciocinar e enfrentar as adversidades. Uma troca de ideias e a natural consequência do conjunto da obra: fizemos nós juntos, nós fizemos, foi bom dividir. Um valoriza o outro e vamos em frente! Fazer juntos é o que nos move. Gente que coopera cresce. Então, venha fazer com a gente. Quem faz junto, faz a diferença. Na sua vida. Na sua cidade. No seu ambiente natural, de trabalho. Na sociedade. No nosso mundo e que mundo este (?) - atual - de incrível individualidade! Ninguém procura ninguém para nada, muito menos para uma união de esforços. Desacreditado, descrédito total. Repito, porque importa: fazer juntos é o que nos move, porque acredito que gente que coopera cresce. Vale lembrar, aqui, um episódio na garagem do Edifício João XXIII, da Avenida Assis Chateuabriand, em Belo Horizonte: vaga de garagem única para dois usuários de apartamentos diferentes – sem fixação prioritária. Quem chegasse primeiro estacionava nos fundos. E aí? O outro ficava na frente... Divisão de esforços. Um dia deu briga, não é, Bruno, Fernanda, Pedro? “Nenhum de nós é tão bom quanto todos juntos”! Vamos fazer juntos? É o melhor. O que vamos fazer juntos hoje? Quero estar preparado. Não discutir, não brigar... Esperando... Fazer juntos!

Fernando de Miranda Jorge

Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – e-mail: [email protected]