DIA DO Professor

Publicado em 17/10/2017 - ponto-de-vista - Da Redação

DIA DO Professor

O Dia do Professor virou recesso escolar. Isto é, não necessariamente o dia para homenagear àquele que, em 220 dias do ano, tenta imprimir conhecimentos, tenta abrir a mente dos educandos para aprendizagens científicas, biológicas, sociais, psicológicas ou, simplesmente, ensina-os a ler e escrever. Professor, mestre, tio, tia e ou orientador: são profissões não valorizadas, nem remuneradas dignamente. Assim, cabe uma pergunta simples: - quem hoje é um profissional bem sucedido, que não tenha tido na infância e juventude dedicados professores? É! Dia 15 de outubro comemora-se o Dia do Professor em todo o Brasil. Mas você, leitor, leitora, sabe qual o motivo da comemoração nesta data específica? Pois é, a resposta vem lá do Brasil Imperial. É que o dia 15 de outubro de 1827 – foi consagrado à educadora Santa Teresa de Ávila e Dom Pedro I, Imperador do Brasil, baixou um Decreto Imperial instituindo o Ensino Elementar no Brasil, de tal maneira que “todas as cidades, vilas, povoados e lugarejos tivessem suas escolas de primeiras letras”. Tal decreto determinava basicamente a descentralização do ensino, do salário dos professores, das matérias básicas que todos os alunos deveriam aprender e, ainda, de como os professores deveriam ser contratados. Grande a contribuição da Lei de 15 de outubro de 1827, a qual previa no seu artigo 1º - “as Escolas de Primeiras Letras (hoje Ensino Fundamental) devem ensinar para os meninos a leitura, a escrita, as quatro operações de cálculo. Às meninas, as prendas (costurar, bordar, cozinhar), para a economia doméstica. De lá para cá, é outro capítulo da nossa história. Viva o dia do Professor. Viva o Imperador Dom Pedro I, que fez, e bem, a sua parte... lá atrás. Obrigado, Dom Pedro I. Parabéns, Professor, na esperança de que a profissão de ensinar seja respeitada e valorizada condignamente na sociedade moderna. (Saudações aos atuais professores, através de Angelita Aparecida Mendonça Vieira e... saudades das minhas alfabetizadoras: Dona Mariinha, Senhor Floriano, Dona Tianinha, Dona Malvina e às pioneiras do pré-primário: Dona Dircélia Ernesto, Dona Lêda Borges e Dona Marli Jorge!).

Fernando de Miranda Jorge - Acadêmico Correspondente da APC / Jacuí/MG – E-mail: [email protected]