COMO CONTAR histórias

Publicado em 22/05/2019 - ponto-de-vista - Da Redação

COMO CONTAR histórias

Sabemos de histórias, conhecemos várias histórias. Contá-las é que são elas. Uma boa história contada por especialista é outra coisa. Um mesmo conto narrado por mais de uma pessoa pode mudar o rumo da prosa, pelo ponto de vista de cada narrador. E como tem gente que gosta de contar! Outras gostam de escrever, mas penso que escrevemos pouco sobre histórias. Complexo. Por que será? Será por receio de interpretações diferentes? Talvez. Ou será porque a divulgação delas poderia contrariar os figurantes. É difícil entender isso. Há pessoas que gostam, mas não sabem contar, não conseguem monopolizar e prender a atenção dos ouvintes. E outras contam histórias, as mais variadas, repetidas, divertidas, tristes, longas e, às vezes, enfadonhas, monótonas e desinteressantes. Como contar uma história? Se pretende contar uma piada (tem que ser por especialista), um conto de fadas, uma fábula, ou convencer alguém com um pouco de experiências vividas, saber contar bem uma história é uma habilidade importante. Enquanto esse dom vem naturalmente para alguns, para outros é de fundamental importância e pode ser aprendido. Em princípio, faça com que a história seja conclusiva. Memorize sua história, seja autêntico e facilite a interação e saia por aí contando histórias. Ou pare de contá-las, simplesmente. “A vida é enfadonha como uma história contada duas vezes”. (William Shakespeare).

Fernando de Miranda Jorge

Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – e-mail: [email protected]