Por debaixo

Publicado em 19/10/2015 - paulo-botelho - Da Redação

Por debaixo

"Quase tudo que está por debaixo é sujeira, surpresa ou perigo; cuide-se para não ser atingido". É o que me dizia a dona Maria de Luna Botelho, minha avó; acho que ela queria me alertar para ter cuidado com pessoas de mau-caráter. Mas, é na cabeça das pessoas mais responsáveis da cidade de São Paulo que está em pauta uma enorme preocupação: os subterrâneos do Shopping Center Norte. Inaugurado em 1984, o imenso conjunto foi construído em cima de um lixão. A decomposição de material orgânico chega a 10 metros de profundidade causando poças com bolhas de gás. Com o passar do tempo, essas bolhas se expandem e podem atravessar o piso com fissuras. Resultado: alto percentual de metano que pode desencadear múltiplas explosões. E isso já vem ocorrendo.

Mas, é do Uruguai que vem um exemplo. Nós brasileiros quase que só conhecemos esse país vizinho por causa do "Maracanazo" ou a perda da Copa do Mundo de 1950. Sua população tem um pouco mais de 4 milhões e Montevidéu, sua capital, tem quase 2 milhões de habitantes. Ela é do porte de Belo Horizonte ou Campinas; só que mais bonita, organizada e bem cuidada. Os parques Rodó, Laroche, Zarrilla de San Martin e Battle Y Ordoñez são amplos, arborizados e com uma variedade notável de flores: rosas, dálias, margaridas, girassóis e hortênsias, entre outras. O seu principal Shopping Center está adaptado dentro do ex-famigerado presídio político de Punta Carretas. Para lá iam, aos trancos, os guerrilheiros do Movimento Tupamaro. Foi natural que esse Movimento exercesse uma forte influência nos jovens universitários de lá. Entre eles, se achava José Mujica, ex-Presidente da República. Mujica foi baleado 9 vezes pelos agentes da ditadura militar; e superou os gatos em quantidade de vidas! Também, superou, com surpreendente eficiência, no trabalho correto de reconstrução do Uruguai.

E aqui, ficam duas perguntas: Para que manter o Shopping Center Norte? – Por quê não transformá-lo em um verdejante e florido parque? – Pois, assim, seja lá como for, vai poder alegrar a cidade onde há tanta tristeza!

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Consultor de Empresas e Escritor. www.paulobotelho.com.br