O Gato Angorá

Publicado em 20/04/2017 - paulo-botelho - Da Redação

O Gato Angorá

“Não conte essa história, por favor; não há quem possa acreditar nela!” – É o que me pede Hildebrando Bueno. Mas, mesmo assim, vamos a ela; os tempos atuais continuam sendo de deseducação e de espaço para os dissidentes do “Homo Sapiens!”
Não se trata de Moreira Franco, ministro de Temer, aquele que tem os cabelos todos branco e é apelidado de Angorá nas delações dos propinodutos.
A história é sobre um tal Edmundo que acabou virando juiz de Direito de Primeira Instância. Alto, robusto, olhos infantís, higiene curta, chegara a São Paulo vindo de Porto Alegre ainda com cheiro de churrasco, mas possuidor de diploma em Direito e Carteira da OAB.
Hildebrando e Edmundo foram colegas de pensão no bairro de Vila Mariana. Um começo de amizade ali se iniciara.
Passados alguns dias de convivência, Edmundo não aguenta e pede a Hildebrando: “Tchê, morro de vontade de conhecer o Rio de Janeiro. Tua tia rica mora lá. Pede pra ela se dá para me hospedar por uns dois dias. Quero conhecer o Cristo Redentor lá do alto do Corcovado!”
“Amigo de Hildebrando meu amigo passa a ser; diga para o gaúcho que pode vir!” – Disse a tia que morava na elegante Copacabana em um confortável apartamento.
Já instalado no apartamento, logo pela manhã do segundo dia de hospedagem, Edmundo ouve uma recomendação da dona: “Tenho que sair, mas devo voltar logo. Por favor, tome conta do apartamento e do gato angorá!” – Sistemática e esquecida, ela sai e tranca a porta que dava para a cozinha e o banheiro.
Sem demora, Edmundo viu chegar a sua sagrada hora de aliviar o intestino. Não teve dúvida: abriu um exemplar da revista “Veja” e depositou nela mesmo o seu “serviço”; na verdade um “servição”. – E antes de dar o fora – para sempre – limpou a bunda com o gato angorá!
Passados tantos anos, Hildebrando agora fica a lembrar de esquecimentos, sem importância, que atribui à duvidosa ordem do tempo e à inevitável desordem da memória.

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Consultor de Empresas e Escritor. www.paulobotelho.com.br