No Campo da Divina Luz

Publicado em 22/03/2021 - paulo-botelho - Da Redação

No Campo da Divina Luz

É neste tempo, quase sem fim, de contaminação pela Covid-19 que cuidados precisam ser observados e praticados. - Desnecessário enumerá-los.
Milhares de brasileiros deixarão de morrer se o Bolsonavirus-22 for devidamente derrotado!
O sonho de voltar a cantar no trabalho vale a pena ser sonhado. O sonho antecede a realidade; e a realidade somente pode ser mudada se houver sonho. E ação. O sonho é poder trabalhar sem adoecer ou morrer por causa do trabalho.
É do senso comum que vem a ideia do sofrimento: do estresse,do agravo. E o agravo é prejuízo, azar, desgraça. Vem daí o espectro da patologia e, portanto, da doença. Nada pior que ficar doente e ainda ter que trabalhar.
A origem da palavra trabalho vem da forma latina "Tripallium" - instrumento de tortura utilizado pela Igreja Católica desde o Século IV para punir serviçais e desafetos. Feito com 3 estacas de madeira encravadas no chão eles eram amarrados e torturados até ficarem "bonzinhos!" - Não por acaso as relações de produção mal estabelecidas possuem, até hoje, essa desprezível e infame denominação.
A quadra que segue refere-se ao grau de situação dos trabalhadores no Interior do Nordeste Brasileiro. Retrata o drama dos trabalhadores sob permanente ameaça de patrões, senhores de engenho. - E, assim, cantam o trabalho como que para espantar os seus males, os seus agravos:
"No campo da divina luz,
onde tudo se consome;
há quem come e não produz,
há quem produz e não come!"
A única coisa que uma pessoa pode fazer durante 8 horas (ou mais) é trabalhar. Nem sempre pode dormir e descansar por 8 horas; tampouco ter algum lazer. - Claro está que isso depende das circunstâncias que precisam ser enfrentadas no sentido de colocar o axioma do trabalho em evidência, isto é: dar destaque ao valor qualitativo do trabalho.
Aos que podem trabalhar à distância por meio de Home-Office (Trabalho em Casa) não há dúvida que é um privilégio. E, como sou um desses privilegiados, não deixo de procurar respostas para duas perguntas:
1. Como apropriar-se do hardware da informática sem intoxicar-se de seu software?
2. Como ficam os sistemas e símbolos que, com frequência, ressecam as nossas raízes de ordem educacional e cultural; em termos de produtividade e qualidade?
- Nada mais justo - e possível - que colocar o axioma do trabalho em evidência. - O verdadeiro trabalho é aquele que contém a "axia" do axioma; que quer dizer verdade, justiça e amor!

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Professor e Escritor.
E-mail: [email protected]     Site: https//paulobotelhoadm.com.br