Artigo Especial: Vozes

Publicado em 31/08/2015 - paulo-botelho - Paulo Augusto de Podestá Botelho

Artigo Especial: Vozes

"O PT não rouba e nem deixa roubar!" É o que já dissera, com aquela voz de sovaco, José Dirceu de Oliveira e Silva; o ex-guerrilheiro urbano dos Anos 60; o ex-sedutor das alunas da PUC; o ex-ferrabrás do governo Lula.

Membros numerosos do Poder Legislativo, dotados de desafinadas vozes, vivem confortavelmente a consumir os sofridos recursos da população brasileira. – E ficam, lá em Brasília e nas capitais de seus respectivos estados, de segunda a quinta-feira, a costurar leis de conformidade com suas conveniências. O que a maioria desses políticos sabe costurar muito bem são as meias verdades. A busca de solução de problemas fica, de forma continuada e viciada, para a próxima legislatura. Não há pressa. A verdadeira solução de um problema está em um nível superior ao que ele foi criado; o problema não é o problema em si, mas a atitude diante do problema. Mas, isso é demais para os atrofiados neurônios deles.

O Adoniran Barbosa tem uma música que começa assim: "Inês saiu dizendo que ia comprar pavio para o lampião". Se alguém se der ao trabalho de escrever dois volumes sobre a periferia das grandes – ou inchadas – cidades brasileiras, não vai definir melhor o que significa uma pessoa muito pobre sair para comprar pavio de lampião; não há voz que não fique embargada, quase que querendo chorar de pena.

Um ajudante de pedreiro achou carteira contendo 419,00 reais bem ao lado do caixa eletrônico do banco da pequena cidade. Esse mesmo banco fora assaltado ano passado. Sabe o leitor o que o trabalhador fez? – Foi até à Delegacia de Polícia que, por coincidência fica do outro lado da mesma rua, e entregou a carteira. – E disse ao Delegado com voz firme: "Não trabalhei para ficar com este dinheiro." – Eis aí a verdadeira sintonia de uma voz de consciência!

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Consultor de Empresas e Escritor. www.paulobotelho.com.br