A Implosão do Significado

Publicado em 01/03/2021 - paulo-botelho - Da Redação

A Implosão do Significado

Aonde vai parar a sabedoria que se perde com o conhecimento? - A resposta fica por conta da implosão do significado.

Calcula-se que no Brasil os analfabetos funcionais somem cerca de 75% da população economicamente ativa. São pessoas com menos de 4 anos de escolaridade e, também, incalculáveis as pessoas com formação superior que exercem funções-chave em instituições públicas e privadas. Elas não têm as habilidades de leitura compreensiva, escrita e cálculo para fazer frente às necessidades de profissionalização e tampouco da vida sócio-cultural. - Por que isso ocorre? - Porque são pessoas que não conseguem entender sinais de aviso de perigo, instruções sobre higiene e segurança do trabalho, orientações sobre processo produtivo e procedimentos para a garantia da qualidade.

Não faz muito tempo, por ocasião de uma palestra (ou workshop) que ministrei na sede da FIESP sobre o tema "Tratamento de Resíduos Industriais" em que fui interrompido - no meio da exposição - por um engenheiro: olhar entediado, terno bem cortado, gravata Hermès e CEO - Chief Executive Officer de uma renomada empresa, a dizer: "Eu só quero saber em que lugar vou enfiar os resíduos da produção semanal da minha empresa!"  -  Resumi para o malcriado (antes de começar a tratar do tema) o como fazer ou mandar fazer para não gerar resíduos. - E completei: O Chefe lá do Céu costuma esperar quando as suas criaturas têm muita pressa!

Uma parcela significativa de analfabetos funcionais é constituída por aqueles que aprenderam a ler e a escrever, mas não lêem, sequer escrevem!

O Update (colocar em dia) e o Upgrade (elevar o nível de compreensão) chegam a causar paralisação mental. Acho mesmo que determinadas pessoas atrasam o seu próprio desenvolvimento intelectual; e quando chegam ao momento de seu ajuste com as circunstâncias param de aprender.

Só existe, a meu ver, uma saída para conter a implosão do significado: investir em educação e treinamento para a gestão da qualidade. Qualidade não custa dinheiro. O custo da qualidade é a despesa do trabalho errado, mal feito, sem comprometimento. - É isso.

 

Paulo Augusto de Podestá Botelho é Professor e Escritor.

E-mail: [email protected]        Site: https//paulobotelhoadm.com.br