A Folha Regional - Artigos - Paulo Botelho

O Aniversário da Menina

Em 09/06/2014 - Paulo Botelho - Da Redação

Por Paulo Botelho “There’s a place for us;  Somewhere a place for us!” (Há um lugar para nós; em algum lugar há um lugar para nós!) Leonard Bernstein, compositor americano). Foi Hildebrando Bueno quem presenciou; lá também estava o radialista Salomão Schwartzman da Rádio Cultura de São Paulo, dono do bordão “Seja Feliz!” Aconteceu dentro de uma prosaica lanchonete do bairro de Pinheiros, por volta do meio-dia do último sábado do mês de maio.

Veja +

Uma Receita de Resultado

Em 05/05/2014 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho O investimento veio de dona América do Perpétuo Socorro Bueno, fazendeira no Sul de Minas Gerais; mãe de quatro filhas. E a tecnologia, a “Arte de Fazer Pão-de-Queijo”, veio de quatro irmãos italianos: Fabrizio, Enzo, Mino e Aldo. Para a sogra – e sogra tem sempre um adjetivo para nomear genro – eles não passavam mesmo de quatro “sacos vazios”(leia-se pobretões) que não serviam para outra coisa a não ser engravidar suas filhas. – Coitadas!

Veja +

Tinha um Obstáculo

Em 09/04/2014 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “No meio do caminho tinha uma pedra; tinha uma pedra no meio do caminho”. Carlos Drummond de Andrade, poeta. Ele se chama Baloubet du Rouet. Não é o nome de um fino vinho francês, tampouco de um perfume da mesma procedência; mas de um cavalo. Não um pangaré qualquer, mas um alazão da raça Sela Francês – raça reconhecida há 250 anos, ideal para provas de saltos com obstáculo.

Veja +

Tinha um Obstáculo

Em 01/04/2014 - Paulo Botelho - Da Redação

Por Paulo Botelho “No meio do caminho tinha uma pedra; tinha uma pedra no meio do caminho”. Carlos Drummond de Andrade, poeta. Ele se chama Baloubet du Rouet. Não é o nome de um fino vinho francês, tampouco de um perfume da mesma procedência; mas de um cavalo. Não um pangaré qualquer, mas um alazão da raça Sela Francês – raça reconhecida há 250 anos, ideal para provas de saltos com obstáculo.

Veja +

As Pessoas no Trabalho

Em 25/11/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “ As pessoas são ativos que devem ser valorizados e desenvolvidos e não recursos a serem consumidos”. Celso Furtado, economista brasileiro. É uma pena ter que trabalhar tanto e de forma desorganizada. Uma das coisas mais difíceis que existe é trabalhar duramente, sem motivação, de forma desorganizada e, sobretudo, desconfortável. Entretanto, é preciso compreender o trabalho e suas relações para poder transformá-lo.

Veja +

A Sintaxe da Preocupação

Em 25/11/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho Ele é dotado daquela raríssima preocupação afetiva que melhor qualifica o ser humano, especialmente na relação com os amigos. Muito magro e baixo, olhos vivos e rastreadores, bigodes e cavanhaque de mandarim, não agüentou a repressão política contínua da ditadura do governo chinês – e deixou a Universidade de Pequim exilando-se no Brasil a partir dos anos 90. Fomos colegas de Universidade (ele lecionando Métodos Quantitativos e eu Logística Reversa) além de  vizinhos de rua; entretanto a amizade continua firme e forte tanto quanto o seu atropelado português escrito e falado!  

Veja +

UMA MARAVILHOSA TRANSFORMAÇÃO DO SER HUMANO

Em 25/11/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Por Paulo Botelho “Somos o que fazemos, mas somos sobretudo o que fazemos para mudar o que somos”. Eduardo Galeano, escritor uruguaio. Baixo, magrinho e meio calvo acho que ele já ultrapassou a casa dos 50 anos de idade; acho mesmo que ao nascer ganhou de sua mãe aquela escada metálica, leve, de 20 degraus. Acrobata do Cirque du Soleil, ele faz o que quer com a escada.

Veja +

O Uivo dos Chacais

Em 05/09/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Chacal: Mamífero carniceiro, originário da África e da Ásia, mais ou menos do tamanho de uma raposa, e que come os restos deixados pelos animais de maior porte. – Pessoa muito má e que espreita a desgraça das outras para beneficiar-se.

Veja +

EM NOME DO PADRE

Em 06/05/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

Atarracado, olhos miúdos por detrás de grossas lentes, o frade franciscano holandês abre a portinhola do confessionário e traça, com a mão direita branca, leitosa, o sinal da cruz, perguntando: “Você fez  porrcarrias (sic) sozinho ou com outro?” – O cheiro nauseabundo de seu hálito me fez responder, irritado: com outra. – “Reze 200 padre-nossos como penitência e não peque mais.”

Veja +

UM ENTENDIMENTO SOBRE O TRABALHO

Em 18/02/2013 - Paulo Botelho - Paulo Botelho

“A lição sabemos de cor; só nos resta aprender”. Fernando Brant, escritor e compositor. É desde os primeiros tempos de sua existência que o ser humano constata que, para sobreviver, precisava executar algumas tarefas de trabalho, como caçar, construir abrigos, fazer armas, plantar e colher alimentos, entre outras atividades. Essas tarefas consumiam muito esforço, além de serem cansativas.

Veja +