Câmara de Guaxupé aprova em regime de urgência urgentíssima reajuste salarial para professorado

Publicado em 05/04/2012 - legislativo - Carlos Alberto / Assessor de Imprensa

Aumento nos ordenados foi tema de promessa de campanha do atual prefeito, em 2008; para alguns vereadores, matéria foi votada somente agora para beneficiar o gestor, que provavelmente disputará a reeleição

A Câmara Municipal de Guaxupé aprovou, em 1ª, 2ª e 3ª votações, o projeto enviado (em regime de urgência urgentíssima) pela Prefeitura, que aumentou o piso salarial dos professores da rede pública municipal de ensino. A matéria foi votada por seis dos dez vereadores eleitos para representar a população. Promessa de campanha do prefeito Roberto Luciano Vieira, em 2008, o reajuste aconteceu três dias antes do prazo estabelecido pela Lei (que impede que matérias como esta ocorram em período eleitoral).
A aprovação aconteceu no início da tarde de quarta-feira (04), durante reunião extraordinária, tendo contado com as participações dos vereadores Levi Baltazar Valderramos, Sérgio Murillo Lattaro, Miguel Antônio Stamponi, Sérgio Luiz Faria dos Santos, Luiz Smargiassi Filho (Didinho) e Ari Cardoso. Faltaram da sessão Tânia Maria Nobile Rolim, Mauri de Almeida Palos e Luiz Donizetti Ribeiro (Picapau). Após a aprovação, o pequeno número de professoras presentes comemorou: “Eu vi esta aprovação muito emocionada, pois realmente a gente trabalha por amor, mas precisa ser reconhecida”, comentou Leila Maria Vieira, do CAIC. “É algo que esperávamos já há muito tempo. Uma vez votado e transformado em lei, esperamos que permaneça”, completou a vice-diretora Roberto Magno Bonfim.
Entre os vereadores, o clima foi de satisfação e crítica: “Professora é uma profissão muito linda, respeitada e que ganha muito mal. Então, ficamos muito felizes”, disse Didinho. “Não foi dado antes (o aumento) porque esperávamos uma resolução federal do piso salarial”, informou Sérgio Faria. “Critiquei o presidente da Câmara por convidar tão rápido esta reunião, que veio em regime de urgência urgentíssima”, advertiu Levi. “Não foram só dois dias, mas sim doze anos de criação do piso salarial”, ressaltou Nico. “Tivemos 2009, 2010, 2011 e agora 2012, sendo que no fim do mandato ele (o prefieto) está fazendo isto. Então, há alguma coisa estranha aí”, completou Ari.
Agora, conforme os trâmites legais, o projeto de lei será sancionado pelo prefeito Roberto Luciano. Ontem, ele reuniu-se com professores no Teatro Municipal para anunciar os reajustes. Segundo o prefeito, o piso salarial de R$ 987,00 passará para R$ 1.200,00, já a partir deste mês de abril. De acordo ainda com o chefe do Executivo, para dezembro deste ano, haverá outro aumento no piso, o qual chegará a R$ 1.451,00, para trinta horas trabalhadas, semanalmente. E, para janeiro de 2013, o valor subirá para R$ 1.750,00, segundo garantiu o próprio administrador.