Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

Publicado em 21/07/2019 - inaian-teixeira - Da Redação

Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

Parece uma pergunta boba, mas, quando foi a última vez que você fez ou aprendeu algo novo? Você sabia que continuar desafiando seu cérebro é essencial para prevenir alguns tipos de doenças mentais? 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 50 milhões de pessoas vivem com algum tipo de demência e, dentre os mais de 100 diferentes tipos de demência, a doença de Alzheimer corresponde à aproximadamente 65% dos casos. Considerando que um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento dessa doença é idade, e as pessoas tem vivido cada vez mais, a previsão é que os casos tripliquem até 2050. Além do processo de envelhecimento em si, as mulheres e as pessoas com menor escolaridade também apresentam maiores riscos de desenvolver o Alzheimer. Isso acontece porque o ensino formal auxilia na criação de conexões neurais mais complexas e estimula a criação de uma “reserva cognitiva” em função dos estímulos cerebrais recebidos. 

A boa notícia é que, embora a escola e a universidade sejam ótimos lugares para desenvolver o cérebro, não precisamos nos limitar somente a elas. O ato de aprender está em nossas vidas desde sempre e podemos aprender, seja dentro ou fora da educação formal. O importante é buscar por um estímulo para o cérebro que seja constante e diversificado ao longo da vida. 

Agora que você aprendeu (ou já sabia) da importância de estimular o cérebro, voltemos a pergunta inicial dessa coluna: Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez? Quando foi última vez que você se desafiou a fazer algo novo? Para estimular o cérebro, pode-se começar com coisas simples do seu próprio dia a dia. Exemplos: tentar escovar os dentes com a mão não dominante; fazer um caminho novo até o trabalho; ler sobre um assunto que você goste; ler sobre assuntos que você ainda nem sabe se gosta. Porém, se você não gosta de ler, há outras formas de aprender algo novo.

Que tal aprender escutando? Já experimentou escutar um audiolivro? E podcast? Caso você nunca tenha ouvido falar dessas últimas duas ferramentas, que tal aprender o que é isso usando o Google? Aliás, a internet é uma ferramenta incrível para o aprendizado, mas tome cuidado onde procura. Procure em fontes confiáveis, imparciais e de preferência consulte mais de um local/site. E não, sua antiga enciclopédia na prateleira não é mais confiável do que a Wikipédia (existem alguns estudos comparando-as). Mas Inaian, eu não tenho nem livros, nem computador e muito menos internet em minha casa. Que tal fazer uma visita à biblioteca pública municipal? Aliás, quando foi a última vez que você esteve em uma biblioteca? Você também pode se desafiar com atividades mais complexas. Que tal aprender a tocar um instrumento musical? um outro idioma? um novo hobby? No meu caso estou aprendendo viola, inglês e fotografia. E você? Quando foi a última vez que você fez algo pela primeira vez?

Inaian é Profissional em Educação Física e Doutor em 

Atividade Física e Saúde. Foi pesquisador associado da 

Universidade de Oxford e atualmente é Pós-doutorando na USP. 

[email protected]