Bicicleta: os benefícios superam os riscos

Publicado em 24/07/2019 - inaian-teixeira - Da Redação

Bicicleta: os benefícios superam os riscos

Quem costuma ficar com medo da notícia ruim quando alguém te pergunta: Tenho uma notícia boa e uma ruim. Qual você quer primeiro? E se alguém lhe dissesse: tenho algumas notícias ruins e inúmeras boas. Você ficaria mais aliviado(a)? Pois bem. Tenho algumas notícias ruins e várias notícias boas sobre a bicicleta. Vamos começar pelas ruins. 

Trocar o carro pela bicicleta aumenta os riscos de se machucar em acidentes de trânsito, aumenta a exposição à radiação ultravioleta e ao ruído. Além disso, exige um maior esforço físico, dificultando o transporte de cargas, é influenciada pelo clima (principalmente pela chuva), pelo relevo e pela distância a ser percorrida.

Em contrapartida, se você substituir o carro pela bicicleta, os benefícios são inúmeros. Tanto para você individualmente, como para o ambiente em geral. Dentre os benefícios ambientais, podemos destacar a redução do trânsito, da poluição sonora e da poluição do ar. Já com relação aos benefícios diretos aos ciclistas estão: redução do risco para desenvolver câncer de cólon, doenças cardíaca e coronariana, controle do peso e do colesterol e melhora da capacidade cardiorrespiratória. Além disso, pedalar é uma atividade de baixo impacto, que promove ganho de massa muscular, é divertido, barato e acessível para pessoas de todas as idades. 

Depois de ver os pontos positivos e negativos, como quantificar qual teria mais peso na balança da saúde? Pensando nisso, Hartog e colaboradores, realizaram um estudo de revisão estimando os benefícios e os riscos do uso da bicicleta na expectativa de vida em adultos. Os autores verificaram que o risco da troca do carro pela bicicleta (7 km/dia) ocasionou uma redução de 40 dias na expectativa de vida (principalmente em função dos acidentes de trânsito). Entretanto, os benefícios do uso da bicicleta resultaram em um aumento na expectativa de vida de até 14 meses, indicando que os benefícios sobressaem aos riscos. 

Para ajudar ainda mais na balança dos riscos/benefícios, podemos adotar algumas estratégias para minimizar os riscos, como por exemplo: pedalar com atenção, respeitando as leis de trânsito, usando equipamentos de segurança e roupas adequadas para cada clima. Além disso, uma bicicleta razoavelmente boa já é o suficiente para te ajudar a percorrer distâncias mais longas e superar os morros de sua cidade. 

Por fim, quando lhe disserem: Coitadinho... Você veio de bicicleta? Quer uma carona de carro? Lembre-se que o coitadinho nessa história é o motorista do carro e que, com ajuda da bicicleta, você estará cuidando de sua saúde. 

Inaian é Profissional de Educação Física e Doutor em Atividade Física e Saúde. Foi pesquisador associado da Universidade de Oxford e atualmente é Pós-doutorando na USP. [email protected]