Minas Gerais confirma 51 mortes por Covid-19 em 24h; são mais de 53 mil casos

Publicado em 03/07/2020 - geral - Da Redação

Minas Gerais confirma 51 mortes por Covid-19 em 24h; são mais de 53 mil casos

Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) confirmou mais 2.644 casos de coronavírus nas últimas 24 horas; número total chegou a 53,3 mil e mortes são 1,1 mil


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) confirmou nesta sexta-feira (3), pelo segundo dia seguido, um número de mortes por coronavírus superior a 50 no curto período de 24 horas. Foram 51 entre quinta-feira (2) e esta manhã, e outras 52 entre quarta-feira (1º) e o dia seguinte – este, aliás, é uma quantidade recorde desde a primeira morte em decorrência da Covid-19, que aconteceu em 30 de março.

Balanço da pasta publicado nesta manhã aponta que 1.110 mineiros e moradores do Estado morreram até hoje após serem infectados pelo coronavírus. A principal curva de crescimento ocorreu nos últimos 30 dias. Em 3 de junho eram 306 mortes, o que representa uma média de 27 óbitos confirmados por dia desde então.

A quantidade de diagnósticos positivos para a Covid-19 também aumentou de forma alarmante do mês passado para cá. Estatística da Secretaria indica que eram 12.010 casos confirmados de coronavírus em Minas Gerais até 3 de junho. Um mês depois, nesta sexta-feira, o número chegou a 52.351, uma média de 1.378 novos casos por dia.

A tendência de crescimento deverá permanecer, pelo menos, no decorrer das próximas duas semanas. O pico da pandemia de coronavírus no Estado está estimado para acontecer em 15 de julho. Segundo o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, cerca de 2.500 pessoas precisarão de internação nesta data.

Alerta

De 53.351 casos confirmados de coronavírus em Minas Gerais, cerca de 20.500 deles ainda estão em acompanhamento pela SES-MG, o que significa que esses mineiros não se recuperaram da doença. Os infectados são moradores de 717 municípios do Estado.

Até o momento, a pandemia já atingiu 84% das 853 cidades aqui existentes, tendo causado mortes em 251 delas – o índice de letalidade está em torno de 2,1% segundo estatística da pasta. A maioria das mortes ocorridas até o momento são fruto da combinação do coronavírus com comorbidades pré-existentes como hipertensão, diabetes e cardiopatias, e os principais afetados são aqueles que têm mais de 60 anos.

Belo Horizonte e Uberlândia

Balanço do Estado desta sexta-feira (3) aponta que Belo Horizonte tornou-se novamente a cidade de Minas Gerais com maior concentração de casos de Covid-19 – dois a mais que os 6.974 confirmados em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. Entretanto, dados atualizados pelos próprios municípios divergem da estatística estadual.

Segundo a Prefeitura Municipal de Uberlândia, o número de casos confirmados chegou a 7.433 nessa quinta-feira (2), e são 125 mortes pela doença. Já o relatório da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) indica que são 7.144 casos na capital mineira – 289 a menos que em Uberlândia – e 158 óbitos em decorrência do coronavírus.

A situação dos leitos de UTI e enfermaria é uma preocupação nas duas cidades que concentram os maiores números de casos de todo o Estado de Minas Gerais. Em Belo Horizonte, 87% dos leitos destinados a pacientes com Covid-19 ou suspeita estão ocupados. A taxa é de 73% se consideradas as enfermarias para indivíduos com esse mesmo quadro sintomático. O alarme é ainda maior no município do Triângulo Mineiro onde, de acordo com a prefeitura, 99% dos leitos públicos de UTI estão ocupados – apenas um único leito da rede municipal está disponível.

Por LARA ALVES - O TEMPO