Encontro inédito no estado debate desafios dos bancos de desenvolvimento

Publicado em 18/09/2019 - geral - Da Redação

Encontro inédito no estado debate desafios dos bancos de desenvolvimento

Evento na capital mineira reunirá economistas e gestores de vários países e terá painéis abertos ao público

 

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) sedia, nos dias 19 e 20 de setembro, o 1º Encontro de Economistas-Chefe dos Bancos de Desenvolvimento da América Latina. Realizado em parceria com a Associação Latino-Americana de Instituições Financeiras para o Desenvolvimento (Alide), e com patrocínio do BID, o evento busca fortalecer o relacionamento com instituições de desenvolvimento nacionais e internacionais para o intercâmbio de experiências e cooperação técnica. Serão realizados debates com especialistas sobre temas que influenciam a atuação dessas instituições de fomento, como novas tecnologias, sustentabilidade e medição de impacto das ações na sociedade.

 

Entre as presenças confirmadas estão Enrique Garcia, presidente do Conselho de Relações Institucionais para América Latina e Caribe do Fórum Econômico Mundial e ex-presidente da CAF; Otaviano Canuto, ex-diretor do Banco Mundial; Martin Schröder, diretor para o Brasil do banco alemão KfW, a maior instituição de fomento no mundo; Juan Ketterer, diretor de Mercados e Finanças do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); Claudia Prates, diretora para as Américas do New Development Bank (NDB); Edgardo Alvarez, secretário geral da ALIDE; Ángel Cárdenas, diretor de projetos do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF); Philippe Orliange, diretor regional da Agência Francesa do Desenvolvimento (AFD); e Maria Netto especialista de instituições financeiras do BID; entre outros.

 

“Há um debate global sobre o papel dos bancos de desenvolvimento, envolvendo questões como a transformação digital e novas tecnologias aplicáveis ao setor, diversificação de funding e  novos parâmetros de sustentabilidade. Tudo isso em meio a um contexto econômico complexo e desafiador. Sediar um evento dessa importância mostra que as diretrizes que norteiam a atuação do BDMG estão em consonância com o que organizações internacionais vislumbram para o futuro das instituições de fomento”, explica Sergio Gusmão, presidente o BDMG e membro do Conselho Diretor da Alide.

 

Edgardo Alvarez, secretário-geral da Alide, destaca que existem características comuns nos desafios das economias latino-americanas, além de acordos internacionais que exigem maior participação dos bancos de desenvolvimento, incluindo o Acordo de Paris e a consecução dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), das Nações Unidas. “Por esse motivo, é necessário pensar a ação do setor a partir de uma visão comum para gerar iniciativas mais eficientes e mais focadas. Os bancos de desenvolvimento, como atores de mudança vinculados aos governos, são instrumentos úteis para adaptar as economias a estes novos desafios”, ressalta.

 

Programação

 

No primeiro dia do evento, haverá um encontro fechado em formato de mesa-redonda de economistas-chefe de instituições que formam a Alide. Na pauta, está o papel das instituições financeiras de desenvolvimento no quadro das prioridades da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Serão discutidas ainda as tendências atuais que impactam o processo econômico da região, e outros aspectos como mudanças climáticas e gestão de riscos; infraestrutura sustentável e desenvolvimento territorial; economia 4.0 e digitalização no setor bancário; inclusão financeira e medição de impacto.

 

No segundo dia, aberto ao público mediante inscrições, um seminário técnico servirá como insumo para uma ampla troca de experiências sobre os aspectos fundamentais do financiamento ao desenvolvimento. O evento contará com painéis formados por especialistas em alto nível que vão tratar das estratégias para o financiamento do desenvolvimento; transformação digital e o impacto das novas tecnologias; e os desafios para a medição do impacto dos bancos de desenvolvimento e a conexão com a Agenda 2030 da ONU.

 

As vagas para o dia 20 são limitadas e as inscrições podem ser feitas no endereço eletrônico www.bdmg.mg.gov.br/encontroeconomistas.

 

Sobre o BDMG

Com 57 anos de atuação, o BDMG é uma instituição financeira que integra o sistema de desenvolvimento econômico do Estado de Minas Gerais. O Banco apoia empreendimentos públicos e privados que contribuem para o fortalecimento da economia mineira, com foco na sustentabilidade e no aumento da competitividade de empresas de variados portes. Estimulando sempre a inovação, o aumento da produtividade e a geração de empregos de qualidade, com impacto na redução das desigualdades sociais, o BDMG fomenta atividades na indústria, agricultura e agronegócio, comércio e prestação de serviços, além de apoiar os municípios mineiros em projetos de infraestrutura e desenvolvimento urbano que trazem benefícios diretos para a sociedade.

 

Sobre a Alide

 

A Alide representa os bancos de desenvolvimento da América Latina e do Caribe. Criada em 1968, estabeleceu sua sede permanente em Lima, capital do Peru a convite do governo do país. As atividades e serviços que a Associação realiza visam promover a união e fortalecer a ação conjunta e a participação coordenada dos bancos de desenvolvimento e das instituições financeiras no progresso socioeconômico da região. Saiba mais em www.alide.org.pe.


Sobre o BID

O BID é a principal fonte de financiamento para o desenvolvimento da América Latina e o Caribe. Oferece empréstimos, subsídios e cooperação técnica e realiza inúmeras pesquisas. Seu compromisso é alcançar resultados mensuráveis em saúde, educação e infraestrutura, por meio do apoio financeiro e técnico aos países que trabalham para reduzir a pobreza e a desigualdade. As áreas atuais de intervenção envolvem três desafios de desenvolvimento – inclusão social e equidade, produtividade e inovação e integração econômica.


SEGOV