Semad e PMMG vão receber doações para cães e gatos vítimas da chuva em Minas

Publicado em 29/01/2020 - especial - Da Redação

Semad e PMMG vão receber doações para cães e gatos vítimas da chuva em Minas

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) e a Polícia Militar de Minas Gerias (PMMG) começam a receber, nesta quarta-feira (29/01), doações para cães e gatos. Os donativos serão destinados a animais cujos donos moram nas cidades que decretaram estado de calamidade pública ou emergência, em função dos episódios de chuva intensa que acometem o Estado desde a semana passada.

A campanha é coordenada no Núcleo de Fauna da Semad e visa a arrecadação de produtos que podem auxiliar na alimentação e nos cuidados com os animais atingidos. A coordenadora de fauna e pesca da Semad, Samylla Mol, explica que as doações podem ser entregues nas Superintendências Regionais de Meio Ambiente (Suprams) de Minas Gerais e nos Batalhões da Polícia Militar em todo o Estado. 

“A princípio estamos priorizando recolher ração para cães e gatos, material de limpeza animal, vasilhames para alimentação, cobertores, toalhas, patês para cães e gatos, caixa de areia para gatos e caixas de transporte e coleira”, detalha. Segundo ela, não há necessidade, inicialmente, de doação de medicamentos veterinários.

É importante que, ao realizar a doação, as pessoas se identifiquem na Supram ou nos batalhões da PM para um maior controle da Semad sobre a situação. Ao todo, mais de 100 municípios mineiros que já decretaram emergência ou calamidade pública devem receber os donativos.

Segundo a coordenadora, a partir do Decreto 47.787, de 14 dezembro do ano passado, ficou estabelecido que caberia à Secretaria a tutela da fauna doméstica no Estado. “O animal doméstico está presente na maioria dos lares brasileiros. Quando uma situação de desastre atinge uma cidade, não só os lares e as pessoas, mas também os animais são atingidos. A ideia do Estado é desenvolver essa ação em favor da fauna doméstica”, afirma a Samylla.

A situação, apesar de triste, ajuda na estruturação de projetos e estratégias que podem ser aplicadas no manejo da fauna doméstica no Estado. “O pensamento em relação a um plano de ação, criação de estratégias, as medidas que podem ser tomadas para evitar que os danos tão catastróficos atinjam a fauna já vêm sendo pensados”, afirma o subsecretário de Fiscalização Ambiental da Semad, Robson Lucas.

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Germano Vieira, ressalta a importância da ação e o comprometimento do governo estadual em atender a todas as demandas relacionadas aos impactos da chuva. “É um trabalho que se estende desde às ações de prevenção, com a emissão de alertas meteorológicos e de defesa civil, passando pelo atendimento às pessoas atingidas e também aos animais”, afirma o secretário.

Neste último quesito, relacionado à fauna, a Semad assume o protagonismo do trabalho, tendo em vista que a fauna doméstica também passou a ser atribuição da secretaria, de forma inovadora e sem precedente em nenhum outro estado.