Coluna Minas Gerais (26 de Maio de 2020)

Publicado em 26/05/2020 - coluna-minas-gerais - Da Redação

Coluna Minas Gerais (26 de Maio de 2020)

Vistoria com agendamento virtual

O serviço de vistorias veiculares, realizado pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), deixou de ser por ordem de chegada e passa a ser feito mediante agendamento virtual em Poços de Caldas. A proposta é proporcionar mais comodidade e agilidade, pois evita fila e reduz o tempo de espera, além de maior segurança para o trânsito na área de vistoria, por diminuir o fluxo de veículos no local. O agendamento é feito no site do Detran-MG e as vistorias são agendadas de 15 em 15 minutos, sendo realizadas duas vistorias simultaneamente. (Jornal d Mantiqueira - Poços de Caldas)

 

Salinas cancela festival

O calendário de eventos de Salinas em face da pandemia do Covid-19 já sofreu baixa e consequente queda nos serviços e fluxo de pessoas. As mais expressivas: o Festival gastronômico da Cachaça, em maio, e o 21º Festival Mundial da Cachaça para julho, ambos foram cancelados pela Associação dos Produtores Artesanais de Cachaça de Salinas. Segundo Cleber Santiago, presidente da entidade, não existe clima e situação econômica e social seguras para a realização do evento. Os eventos estimavam um público de 15 mil pessoas. (Tribuna do Norte - Salinas)

 

Site divulga pesquisas

O comitê técnico formado por especialistas da Universidade Federal de Minas Gerais para avaliar o impacto do rompimento da Barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho, em janeiro de 2019, começou a divulgar todas as chamadas públicas para pesquisas e estudos solicitados pelo juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias. No site http://projetobrumadinho.ufmg.br/ é possível encontrar todas as informações e resultados do "Projeto de Avaliação de Necessidades Pós-Desastre do Colapso da Barragem da Mina Córrego do Feijão". (Jornal Voz Ativa- Ouro Preto)

 

Prefeitura lança e-books

A Prefeitura de Uberaba lançou nesta terça-feira, 26, os e-books em "A Menina do Violino Azul" e "A esperança Contra o Coronavírus", criados pelo desenhista Lacerda. As obras foram disponibilizadas no site de atividades recreativas da Secretaria de Educação de Uberaba. As histórias têm tudo a ver com Uberaba, os 200 anos e os elementos que fazem parte dessa construção da identidade de uma cidade, como os dinossauros, o zebu e Chico Xavier. Além disso, trata de um assunto social relevante: a inclusão. (Jornal de Uberaba)

 

MP celebra TAC com escolas particulares

No dia 22 de maio, o Ministério Público de Minas Gerais - Promotoria de Justiça da Comarca de Arcos celebrou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com algumas escolas particulares de Arcos, tendo em vista a suspensão das aulas nas instituições de educação da rede privada desde o dia 18 de maio. Entre as várias medidas do Termo de Ajustamento de Conduta, as instituições se comprometeram a disponibilizar aos pais das crianças matriculadas a suspensão do contrato de prestação de serviços educacionais, sem qualquer ônus aos consumidores. (Correio do Centro-Oeste- Arcos)

 

Sul tem cerca de 60% recuperados

Dados da Secretaria do Estado de Saúde de Minas Gerais mostram que pelo menos 391 pessoas já estão curadas da Covid-19 em 66 cidades Sul de Minas. Esse número representa 56,2% dos casos já confirmados na região. Conforme os últimos dados divulgados pela secretaria, dos 695 casos confirmados na região: 56,2% estão recuperados da doença; 39,5% ainda são monitorados e 4,1% morreram. Ainda segundo dados da SES-MG, as cidades que possuem mais casos curados da doença são: Pouso Alegre (54); Extrema (45); Varginha (35); Poços de Caldas  (27) e Cambuí  (18). (Correio do Sul - Varginha)

 

Projeto auxilia vítimas

A quarentena começou em meados de março em todo país. A medida sanitária de combate ao Covid-19 agravou ainda mais a situação das vítimas de violência doméstica, que agora são obrigadas a passarem o tempo integral com os seus agressores. O projeto Nenhuma Mulher a Menos, que visa o combate a violência feminina, lançou a campanha #EuMeImportocomVocê. Diante da dificuldade em denunciar, o projeto distribui panfletos com uma mensagem de que as vítimas não estão sozinhas. (Portal Agora- Divinópolis)


ASCOM