COLUNA MG (21 de Fevereiro)

Publicado em 21/02/2019 - coluna-minas-gerais - Da Redação

COLUNA MG (21 de Fevereiro)

Protesto contra a mineração na Serra da Piedade

            No domingo, 17, na entrada para Santuário Nossa Senhora da Piedade, cerca de 200 pessoas, representantes dos movimentos ecológicos CBH Rio das Velhas, S.O.S. Serra da Piedade, Movimento pelas Serras e Águas de Minas, CSA Brasil e CSA Minas, promoveram uma manifestação contra a pretensão da empresa AGV de voltar com a mineração na Serra da Piedade. A mineradora AVG solicitou licença para retirar minério numa das encostas da Serra. A concessão vai ser analisada nesta sexta-feira, 22, numa reunião da comissão da Secretaria Estadual de Meio Ambiente. (Jornal Opinião- Caeté)

 

Prédio da Câmara Municipal é interditado

O prédio da Câmara Municipal de Teófi lo Otoni foi interditado nesta semanapelo Corpo de Bombeiros, pois está com risco iminente de um incêndio na parte de fi ação dos aparelhos de ares condicionados. Essa interdição pegou a população de surpresa, pois tem pouco mais de um mês que houve uma solenidade na Câmara marcando a reinauguração da pintura e outras reformas. (Diário Tribuna - Teófilo Otoni)

 

Preço de combustível cai em Poços

O Procon/Poços divulgou a pesquisa mensal de preço dos combustíveis vendidos na cidade. Foram pesquisados 30 estabelecimentos. Os preços da gasolina aditivada, da gasolina comum e do etanol caíram, respectivamente, 0,93%, 0,71%, 1,26%, enquanto os preços do diesel comum e do diesel S10 subiram, respectivamente, 0,31% e 0,25%, em relação à pesquisa realizada em 17 de janeiro passado.(Jornal da Cidade - Poços de Caldas)

 

Forte chuva causa alagamentos em avenidas

            Chuva forte que caiu em Uberaba por aproximadamente 25 minutos causou vários pontos de alagamento na cidade. As principais avenidas do Centro, já com histórico de enchentes e alagamentos, foram novamente invadidas pelas águas.  Os quatro pontos de maior volume e concentração de água da chuva foram as avenidas Doutor Fidélis Reis, Leopoldino de Oliveira e Prudente de Morais, esta última no bairro Abadia, além da Praça Gabriela Castro Cunha, no entorno do estádio Uberabão. (Jornal da Manhã- Uberaba)

 

"Pimentas Nucleares" na Uniaraxá

            Estudantes do Curso de Agronomia estão participando do cultivo de pimentas especiais; originárias de vários países no Campo Experimental do Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá). O diferencial desse cultivo está na quantidade de substâncias que provocam a "ardência" que a pimenta consegue armazenar. Ao todo, estão sendo plantadas cinco espécies: Jalapeño (originária do México); Naga Morich e Bhut Jalokia (originárias da Índia); 7pot Backarrope e Trinidad Scorpion Moruga (originárias de Trinidad e Tobago). Fora a pimenta Jalapeño, todos os outros cultivares são denominados de "pimentas nucleares". (Diário de Araxá)

 

Tiro de Guerra conclui seleção de atiradores

            Entre os dias 11 e 15 deste mês, o Tiro de Guerra 04-034, de Varginha, realizou a seleção complementar dos futuros atiradores para a matrícula no corrente. Para esta fase da seleção se apresentaram aproximadamente 356 jovens nascidos no ano de 2.000 e remanescentes, dos quais 100 serão designados para o início das atividades de instrução no TG. Durante a seleção dos jovens, foram realizadas entrevistas com intuito de se verificar possíveis problemas médicos e sociais que venham a dificultar a matrícula para prestação do Serviço Militar. (Correio do Sul- Varginha)

 

Campanhas arrecadam materiais escolares

            Chega o início do ano e os gastos extras também aparecem, entre eles, as compras de material escolar. Mas não são todos os pais que têm condições financeiras de comprar tudo o que é pedido na lista das escolas. Por isso, muitas instituições de ensino e creches se deparam com crianças sem o básico para a volta às aulas. Pensando nisso, uma empresa e um grupo de voluntários de Uberlândia estão se mobilizando para conseguir doações e garantir o estudo de crianças carentes. (Diário de Uberlândia)

 

Casos suspeitos de arboviroses diminuem

            De acordo com o Departamento de Epidemiologia e Estatística, ao contrário do que está ocorrendo no Estado de Minas Gerais, que tem epidemias instaladas em dezenas de municípios, Caratinga registrou a redução nos números de casos notificados de arboviroses durante os meses de janeiro e fevereiro de 2019, quando comparado ao mesmo período de 2018. Além disso, não foi registrada ocorrência de formas graves das arboviroses no município até o momento. Os dados mostram em janeiro deste ano o registro de nove casos notificados (oito de Dengue e um de Chikungunya) e em fevereiro, quatro notificações (três de Dengue e uma de Chikungunya). (Diário de Caratinga)

 ASCOM

Do sinal amarelo para os investimentos em Minas

 STEFAN SALEJ 

O que em Minas, e em especial suas elites econômicas, menos querem ouvir é que os desastres do setor de mineração têm uma repercussão maior do que elas acham. A ausência do atual presidente da maior entidade industrial do estado, não voltando do exterior para liderar a resposta do setor industrial ao acidente em Brumadinho, mostra como as pessoas que são responsáveis pelo desenvolvimento do estado reagem: veja se passa e esqueçamos o assunto. Memória curta, é o que todos estão querendo. Vamos olhar para o futuro, esqueça o passado ou, como um gênio da liderança industrial disse: temos que ser racionais neste momento. 

Uma coisa é como as elites mineiras e a direção da Vale querem que isso seja visto. Outra coisa é a dor das famílias. E o terceiro item nessa percepção é como o mundo nos vê. 

As empresas hoje têm acionistas estrangeiros, ou diretos ou através  de fundos de investimentos. Isso vale para a MRV, Kroton, Localiza, CEMIG, Anglo American, Nestlé, Copasa, FCA, e assim adiante. E a maioria desses fundos têm regras de governança rígidas, em especial quanto ao meio ambiente. Essas empresas inclusive cumprem as regras. Mas, o acidente em Brumadinho espalhou a dúvida sobre como o estado de Minas administra essas questões. 

E os acionistas e as gestoras desses fundos já começaram a questionar se a lama e os assassinatos lá atingiram empresas e áreas onde atuam. Ninguém quer estar associado a empresas e sistemas que provocam esse tipo de desastres. É pura ilusão achar que Brumadinho como Mariana, não vão afetar novos investimentos no estado. Ao invés de virem investidores responsáveis, o Estado vai abrir o caixa, piorando a situação, aos mais depredadores e usurpadores dos cofres públicos. 

Uns primeiros sinais de como a imagem de Minas destruída tem afetado já aconteceram. Já começam a ser cancelados novos investimentos na área de agronegócios. E não se iludam porque que na decisão sobre a nova fábrica de motores da FCA em Betim isso vai pesar.

O sinal amarelo acendeu. 

A solução não passa por melhor comunicação, veja o desastre que é a comunicação da Vale, mas por demonstração clara e inequívoca do chefe do governo mineiro. Aliás, como o novo presidente da CEMIG chamou o governador, de que o passado não vai se repetir e que o futuro é qual mesmo? Só a autoridade moral e a liderança do governador podem garantir que haverá mudança e que em Minas o meio ambiente terá um novo tempo. Fazer isso, com o secretário da área do governo anterior perambulando pelos corredores do mal feito do novo governo e apoiado pelos ilustres industriais, será difícil. 

O governo tem poucas opções e se, não mudar de fato o paradigma de desenvolvimento e mostrar isso aos investidores, nem o novo presidente do BDMG trazido da China vai resolver. Não se trata de imagem, mas de mudança de fatos que engalanaram e ensanguentaram o retrato de Minas. 

Com a palavra Governador. 

Stefan Salej - Ex Presidente do SEBRAE Minas e da FIEMG. Vice Presidente do Conselho do Comércio Exterior da FIESP. Coordenador adjunto do GACINT Grupo de acompanhamento da conjuntura internacional da USP