Associação Comercial na defesa do comerciante de Muzambinho

Publicado em 18/03/2021 - cidade - Da Redação

Associação Comercial na defesa do comerciante de Muzambinho

As incertezas foram muitas nos últimos dias com a deliberação do governador Romeu Zema que colocou todas as regiões de Minas Gerais na Onda Roxa do Minas Consciente. Com isso, estabelecendo rígidas regras de funcionamento do comércio e circulação de pessoas.

A Associação Comercial e Empresarial (ACE) de Muzambinho reconhece a importância da tomada de providências para a preservação da vida, bem maior do ser humano. Porém, rebate qualquer alegação de que o funcionamento do comércio em geral seja o maior motivador de contaminação pela COVID-19. Observa que são situações pontuais, isoladas e esporádicas, que podem ser controladas com melhor orientação e fiscalização por parte dos órgãos públicos responsáveis. Para tanto, considerando que a pandemia já acontece há mais de um ano, um diagnóstico bem executado poderia ter identificado locais, horários e situações que geram picos de aglomeração. Reuniões familiares e festas em chácaras certamente também estão entre as causas variáveis de contaminação, sem qualquer influência do setor comercial. Faltou organização e planejamento, obrigações atribuídas também à sociedade como um todo, mas principalmente aos agentes políticos e órgãos públicos.

A ACE vem atuando insistentemente na defesa do comerciante de Muzambinho sob vários aspectos, meios e ações. E neste momento, a defesa é ainda maior ao associado ou não, pois a Associação entende que o fortalecimento da economia depende do sucesso de todos. A ACE conclama a população a entender a situação de gravidade, apoiar os estabelecimentos comerciais mantendo suas compras, pagamentos e acesso organizado. 

A ACE defende o cumprimento das leis e normas estabelecidas pelos governos do Estado e município. Reconhece a sua necessidade e importância. MAS RESSALTA IMPORTÂNCIA DE APOIO AO COMÉRCIO EM GERAL, COMO GERADOR DE EMPREGO, RENDA E DESENVOLVIMENTO. A HORA É DE UNIÃO, COERÊNCIA E BOM SENSO DE TODOS.

Por fim, a ACE cobra dos poderes constituídos de uma forma geral, uma maior e mais efetiva fiscalização, pois não podemos passar mais um ano neste vai e vem, sendo necessárias medidas enérgicas e eficazes que realmente gerem resultados positivos e esta curva da pandemia possa começar a descer vertiginosamente. E que os empresários continuem dando a parcela de contribuição, pois vem cumprindo os protocolos estabelecidos.


(ASCOM ACE)