Reflexões motivadas pelo flagelo

Publicado em 06/04/2020 - cesar-vanucci - Da Redação

Reflexões motivadas pelo flagelo

“O? ?planeta? ?ficou? ?doente? ?porque? ?está? ?com? ?a? ?“huma...nidade”? ?baixa.”? ?

(Texto? ?colhido? ?no? ?youtube)? ?

 ?

O? ?flagelo? ?do? ?coronavírus? ?está? ?dizendo? ?a? ?que? ?veio.? ?Sacudiu,? ?em? ?escala? ?planetária,? ?as? ?estruturas.? ?Trouxe? ?apreensão,? ?temores,? ?infortúnios.? ?Chamou? ?as? ?pessoas? ?à? ?reflexão.? ? ?

 ?

Com? ?impactantes? ?implicações? ?de? ?toda? ?ordem,? ?projetou? ?no? ?sentimento? ?do? ?mundo,? ?com? ?absoluta? ?nitidez,? ?a? ?inarredável? ?certeza? ?de? ?que? ?a? ?sociedade? ?humana,? ?em? ?sua? ?peregrinação? ?pela? ?pátria? ?terrena,? ?está? ?a? ?trilhar? ?rumos? ?frontalmente? ?opostos? ?aos? ?direcionados? ?no? ?sentido? ?do? ?bem-estar? ?social? ?almejado? ?pelas? ?multidões.? ?Refazer? ?conceitos? ?equivocados? ?de? ?vida? ?é? ?relevante.? ?Reconectar? ?o? ?mundo? ?com? ?sua? ?humanidade? ?é? ?imprescindível.? ?É? ?preciso? ?assegurar? ?primazia,? ?em? ?tudo? ?que? ?se? ?promova? ?com? ?vistas? ?à? ?exaltação? ?da? ?vida,? ?aos? ?valores? ?humanísticos? ?e? ?espirituais? ?que? ?conferem? ?dignidade? ?à? ?aventura? ?humana.? ?Garantir? ?que? ?tais? ?valores? ?essenciais? ?sobrepujem,? ?nas? ?horas? ?das? ?tomadas? ?de? ?cruciais? ?decisões? ?pelas? ?lideranças? ?em? ?diferentes? ?níveis,? ?as? ?egoísticas? ?e? ?arrogantes? ?percepções? ?das? ?coisas? ?que? ?costumam? ?influenciar? ?negativamente? ?a? ?marcha? ?da? ?história.? ?

 ?

A? ?“globalização? ?da? ?indiferença”,? ?na? ?sábia? ?definição? ?do? ?Papa? ?Francisco? ?–? ?

“gloriosamente? ?reinante”? ?no? ?reverente? ?reconhecimento? ?dos? ?católicos,? ?bem? ?como? ?no? ?de? ?muitos? ?fiéis? ?das? ?diversificadas? ?correntes? ?religiosas? ?–? ?é? ?também? ?rotulada? ?por? ?homens? ?e? ?mulheres? ?de? ?boa? ?vontade? ?de? ?“globalização? ?da? ?injustiça”.? ?E? ?isso? ?devido? ?às? ?circunstâncias? ?de? ?traduzir? ?estado? ?de? ?espírito? ?que? ?faz? ?ouvidos? ?moucos? ?e? ?desvia? ?acintosamente? ?o? ?olhar? ?aos? ?clamores? ?e? ?cenas? ?aflitivas? ?desses? ?conturbados? ?tempos? contemporâneos.? ?A? ?indiferença? ?mais? ?ou? ?menos? ?generalizada? ?deixa? ?flagrante? ?a? ?existência? ?de? ?mundão? ?de? ?gente? ?que? ?pouco,? ?ou? ?nada,? ?se? ?apoquenta? ?com? ?as? ?tragédias? ?coletivas? ?que? ?se? ?vão? ?acumulando?  ?a? ?cada? ?giro? ?da? ?Terra? ?na? ?imensidão? ?sideral.? ?

 ?

Nos? ?campos? ?da? ?visão? ?e? ?da? ?escuta? ?de? ?quem? ?tem? ?olhos? ?para? ?enxergar? ?e? ?aparelho? ?auditivo? ?para? ?ouvir? ?lá? ?estão? ?as? ?constantes? ?guerras? ?fratricidas,? ?a? ?brutalidade? ?terrorista,? ?o? ?desapiedado? ?drama? ?dos? ?refugiados,? ?as? ?avassaladoras? ?endemias? ?que? ?cobrem? ?o? ?maltratado? ?território? ?africano,? ?a? ?miséria? ?das? ?populações? ?de? ?ruas,? ?cortiços? ?e? ?alagados,? ?a? ?contundência? ?das? ?desigualdades? ?sociais,? ?o? ?opróbrio? ?dos? ?preconceitos? ?e? ?das? ?discriminações? ?regidas? ?pelo? ?ódio,? ?insensatez? ?e? ?ignorância? ?e? ?numerosas? ?outras? ?modalidades? ?–? ?admita-se? ?também? ?epidêmicas? ?-? ?de? ?extermínio? ?da? ?vida.? ?A? ?ausência,? ?pelo? ?menos? ?nas? ?proporções? ?desejadas,? ?de? ?solidariedade? ?social,? ?o? ?despreparo? ?gritante? ?de? ?lideranças? ?com? ?papel? ?de? ?destaque? ?na? ?execução? ?de? ?tarefas? ?voltadas? ?para? ?a? descoberta? ?de? ?caminhos? ?que? ?conduzam? ?a? ?uma? ?jornada? ?evolutiva? ?da? ?civilização? ?pontuada? ?de? ?paz,? ?harmonia? ?e? ?justiça? ?são? ?fatores? ?que? ?concorrem? ?para? ?que? ?haja? ?contínuas? ?distorções? ?dos? ?acontecimentos.? ?É? ?assim? ?que? ?jorram? ?tantas? ?interpretações? ?errôneas? ?e? ?nocivas? ?desapartadas? ?do? ?verdadeiro? ?sentido? ?da? ?vida.? ?Perturbadas? ?diante? ?do? ?bombardeio? ?de? ?informações? ?desencontradas? ?–? ?um? ?volume? ?apreciável? ?delas? ?falsas,? ?com? ?aparência? ?de? ?verdade? ?–,? ?comunidades? ?inteiras? ?encaram? ?com? ?mecânica? ?naturalidade? ?-? ?e? ?até? ?mesmo? ?com? ?desconcertante? ?banalidade? ?-? ?situações? ?sumamente? ?graves.? ?De? ?certo? ?modo,? ?apavorantes.? ?Em? ?sendo? ?assim,? ?cometem? ?o? ?absurdo? ?de? ?descartar,? ?por? ?exemplo,? ?os? ?riscos? ?(mais? ?do? ?que? ?comprovados)? ?do? ?chamado? ?aquecimento? ?global.? ?Uma? ?“invencionice? ?de? ?cientistas? ?amalucados”,? ?em? ?conluio? ?com? ?ideólogos? ?extremistas? ?empenhados? ?em? ?espalhar? ?confusões,? ?conforme? ?insistentemente? ?proclamam? ?porta-vozes? ?do? ?obscurantismo? ?intelectual? ?talibanista.? ?Uma? ?corrente? ?de? ?pensamento? ?retrógrado? ?que? ?se? ?espalha? ?por? ?aí,? ?em? ?tudo? ?quanto? ?é? ?latitude? ?do? ?planeta,? ?com? ?impetuosidade,? ?vale? ?admitir,? ?virótica...? ?

 ?

Muitas? ?as? ?constatações? ?a? ?registrar? ?dessa? ?carência? ?de? ?senso? ?crítico? ?face? ?à? ?acumulação? ?de? ?lances? ?em? ?condições? ?de? ?provocar? ?desassossego? ?social.? ?Bastante? ?emblemáticos? ?na? ?lista? ?desses? ?episódios? ?indesejáveis,? ?os? ?gastos? ?bélicos? ?colossais? ?das? ?grandes? ?potências? ?escandalizam? ?e? ?indignam? ?as? ?mentes? ?mais? ?conscientes.? ?Esse? ?impactante? ?desperdício? ?de? ?recursos? ?dá? ?vaza? ?a? ?que? ?muitos? ?países? ?possam? ?armazenar? ?instrumentos? ?de? ?destruição? ?em? ?escala? ?potencial? ?capaz? ?de? ?reduzir? ?a? ?fragmentos,? ?por? ?dezenas? ?de? ?vezes,? ?tudo? ?aquilo? ?que? ?as? ?diferentes? ?gerações? ?plantaram? ?na? ?superfície? ?do? ?planeta? ?desde? ?os? ?começos? ?dos? ?tempos.? ? ?

 ?

Mesmo? ?entre? ?cidadãos? ?tidos? ?na? ?conta? ?de? ?bem-informados,? ?revela-se? ?reduzido? ?o? ?contingente? ?daqueles? ?que? ?se? ?mostram? ?estarrecidos? ?e? ?que? ?se? ?animam? ?a? ?criticar? ?as? ?alarmantes? ?opções,? ?dos? ?donos? ?do? ?mundo? ?quando? ?desviam? ?recursos? ?amealhados? ?pelo? ?labor? ?humano? ?para? ?horrendos? ?conflitos.? ? ?

 ?

Cuidemos? ?de? ?anotar:? ?um? ?porta-aviões,? ?devidamente? ?equipado,? ?da? ?imensa? ?frota? ?que,? ?permanentemente,? ?singra? ?os? ?oceanos,? ?em? ?ameaçadoras? ?vigílias,? ?a? ?serviço? ?das? ?maiores? ?potências,? ?cobra? ?dos? ?contribuintes? ?valor? ?superior? ?–? ?ora,? ?veja,? ?pois!? ?-? ?ao? ?PIB? ?de? ?numerosos? ?países.? ?Como? ?é? ?que? ?pode?? ?Se? ?a? ?dinheirama? ?gasta? ?dessa? ?maneira? ?fosse? ?destinada,? ?como? ?recomenda? ?o? ?bom-senso,? ?à? ?solução? ?de? ?problemas? ?relacionados? ?com? ?as? ?necessidades? ?humanas? ?vitais,? ?incontáveis? ?tragédias? ?coletivas,? ?inclusive? ?as? ?produzidas? ?por? ?vírus? ?de? ?origem? ?desconhecida,? ?poderiam? ?estar? ?sendo,? ?com? ?certeira? ?convicção,? ?evitadas? ?ou? ?combatidas? ?com? ?total? ?sucesso.? ?

 ?

O? ?tema,? ?visto? ?está,? ?comporta? ?infindáveis? ?considerações.? ?

 ?

Cesar? ?Vanucci? ? - ?Jornalista? ?([email protected])? ? ?

 ?

 ?