Marcelo da Fonseca assume como novo diretor-geral do Igam

Publicado em 24/09/2020 - agronegocio - Da Redação

Marcelo da Fonseca assume como novo diretor-geral do Igam

O Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) tem um novo diretor-geral. O engenheiro civil Marcelo da Fonseca, de 39 anos, assumiu na terça-feira (22/09) o posto até então ocupado por Marília Melo, que passa a comandar a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad). Marcelo é funcionário de carreira do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) desde 2006 e seus dois últimos cargos foram no próprio Igam, órgão em que ele começou a carreira como analista ambiental e tem vasta experiência. A expectativa do novo diretor-geral é prosseguir com os avanços alcançados nos últimos anos e trabalhar sempre com o diálogo, tanto com o corpo de servidores quanto com os parceiros do Igam e a sociedade em geral.


“Estou honrado com o convite, por ser um servidor de carreira, o que vejo como um reconhecimento muito grande da instituição. Também é muito bom poder contribuir com minha entidade de origem”, diz ele, adiantando que uma de suas diretrizes principais será trabalhar de maneira alinhada com os servidores para juntos aprimorarem a gestão hídrica no Estado e o atendimento ao cidadão mineiro. “Conto muito com a colaboração de todos nesse processo. Quero ter uma gestão aberta, horizontal e participativa, para compreender os anseios dos servidores e estar próximo das principais demandas da sociedade”, afirma.


Antes de assumir como chefe do Igam, Marcelo da Fonseca atuava como diretor de Planejamento e Regulação do órgão ambiental. Nesse cargo, foi um dos responsáveis pelo processo de reestruturação das Unidades Regionais de Gestão das Águas (Urgas), que culminou com uma redução expressiva no passivo de outorga de direito de uso de recursos hídricos. Os quase 25 mil processos tramitando fora do prazo em maio de 2018 caíram para cerca de 7,5 mil atualmente.


Manter a estratégia e encerrar esse passivo conforme o estipulado até 2022 será uma das metas do diretor-geral. “Nós avançamos muito nessa parte da estruturação técnica e logística das Urgas, o que permitiu que criássemos procedimentos de padronização e organização administrativa. Isso certamente contribuiu diretamente para o aumento da eficiência das análises dos processos de outorga e vai continuar”, acrescenta.


Outra linha de atenção especial do diretor-geral será o Programa Estratégico de Revitalização das Bacias Hidrográficas de Minas Gerais – Somos Todos Água. Os objetivos dessa inciativa são o fomento e incentivo à conservação da biodiversidade e a manutenção dos serviços ecossistêmicos, principalmente aqueles relacionados à água; o incremento da regularidade da oferta de água; a restauração de processos ecológicos e áreas degradadas; o incentivo à ampliação e incremento da rede de tratamento de esgoto; o fomento da proteção de nascentes e a restauração da cobertura vegetal nas áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade, aquática e terrestre, para a melhoria da qualidade e disponibilidade dos recursos hídricos. “Esse programa tem uma visão estruturante para garantir a segurança hídrica de Minas Gerais nos próximos anos”, acrescenta Marcelo da Fonseca.


Ele também destaca que vai trabalhar para fortalecer a gestão participativa e o Sistema Estadual de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SEGRH) e assim dar mais subsídios para que a Política Estadual de Recursos Hídricos esteja cada vez mais consolidada. Marcelo lembrou, ainda, que sua gestão dará muita atenção ao programa Água Doce, com o objetivo de prover água para a população do Semiárido mineiro, além de uma série de outras iniciativas também voltadas para a área de operação e eventos críticos que contam com o apoio do novo diretor-geral.


“A grande motivação para esse trabalho é saber que o Igam possui hoje uma equipe técnica extremamente qualificada, competente e comprometida com a causa. Além disso, como secretária de Estado, a Marília Melo continuará dando as diretrizes para a gestão e continuará apoiando a gestão de recursos hídricos de Minas Gerais”, completa.


Marcelo da Fonseca é graduado em engenharia civil pela Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e tem mestrado de engenharia na mesma instituição. Ele possui ainda uma especialização em recursos hídricos pela Fundação de Educação para o Trabalho de Minas Gerais (Utramig) e como servidor do Sisema já ocupou os seguintes cargos: diretor de Fiscalização de Recursos Hídricos, superintendente de Fiscalização e subsecretário de Fiscalização, todos pela Semad. Trabalhou ainda como chefe de gabinete do Igam e, por último, como diretor de Planejamento e Regulação do órgão responsável pela regulação dos usos de recursos hídricos em Minas.


ASCOM