Cooperativas dão exemplo no combate ao coronavírus

Publicado em 30/04/2020 - agronegocio - Da Redação

Cooperativas dão exemplo no combate ao coronavírus

No dia 02 de abril, a Cooxupé anunciou a distribuição de 10% das sobras do exercício de 2019, o equivalente a R$ 14,4 milhões, aos cooperados de acordo com a proporção das operações realizadas com a cooperativa no período. O pagamento começou a partir do dia 06 e a previsão é de que os cooperados decidam, em Assembleia, ainda sem data agendada, sobre mais 20% das sobras, que totalizarão R$ 28,9 milhões. O presidente da Cooxupé, Carlos Augusto Rodrigues de Melo, relatou ao site Café Point que essa determinação foi aprovada pelo Conselho de Administração com o intuito de reduzir os impactos negativos aos seus cooperados. "Estamos atentos às necessidades dos nossos cooperados e buscando atendê-los em todas as áreas da cadeia produtiva, com soluções para o benefício de todos. O momento é de união para que continuemos a cuidar um dos outros, seguindo a vocação cooperativista", disse.

A Minasul, segunda maior cooperativa em exportação de café do país, localizada na cidade de Varginha, fechou parceria com as prefeituras de Varginha e Nepomuceno no combate ao Coronavírus. A cooperativa doou bombas costais com os equipamentos de proteção individual (EPI’s), além de solução de hipoclorito de sódio e quaternário de amônio, para a pulverização de ruas e pontos locais de maior concentração de pessoas nas cidades. Segundo o presidente da cooperativa, José Marcos Rafael Magalhães, a Minasul está junto com as autoridades nas ações de redução da transmissão do coronavírus e estendeu as ações também ao setor privado. “Estamos fazendo a nossa parte, com pequenas ações, mas com boa vontade de todos, poderemos atravessar esta crise com mais tranquilidade e menos sacrifício para toda população. Temos a certeza de que sairemos fortalecidos", disse. O foco da cooperativa tem sido valorizar o trabalho do cooperado e seus produtos, buscando as melhores opções para que os produtores obtenham rentabilidade para no negócio. “Hoje temos mais de oito mil cooperados, estamos trabalhando constantemente para atender às necessidades deles. Mas, neste momento, nosso dever é também com toda a sociedade”, concluiu o presidente.

A cooperativa Coocafé também colocou em prática uma série de medidas preventivas em relação à pandemia. Segundo o presidente, Fernando Cerqueira, toda a área administrativa da cooperativa está realizando o trabalho remoto e os colaboradores do grupo de risco foram liberados. As lojas estão abertas com limitação de atendimento e um canal exclusivo para o produtor foi criado para realização de vendas através de delivery. Um comitê de crise multidisciplinar foi instalado e as reuniões do conselho estão sendo realizadas por videoconferência. A maior preocupação da cooperativa é com relação a colheita, que terá início em maio e tem uma janela de duração de 90 a 120 dias. Por isso, a Coocafé lançou o Manual com Boas Práticas para a Colheita de Café. O objetivo é contribuir ainda mais com a segurança dos associados e trabalhadores rurais. O material foi elaborado pela equipe técnica da cooperativa, com avaliação e validação do comitê interno que tem acompanhado toda a situação. 

Fonte: Gerência de Desenvolvimento e Monitoramento de Cooperativas do Sistema Ocemg