Caldas realiza 2º Encontro da Agricultura Familiar no dia do Meio Ambiente

Publicado em 14/06/2019 - regiao - Da Redação

Caldas realiza 2º Encontro da Agricultura Familiar no dia do Meio Ambiente

Com foco na saúde e agroecologia, encontro reuniu participantes do sul de minas para um dia de palestras e oficinas

O antigo pré-seminário de padres da cidade de Caldas, no sul de Minas Gerais, foi palco do 2o Encontro da Agricultura Familiar, que teve como tema “Desenvolvimento Curativo: saúde para quem produz e quem consome”. O Evento foi realizado no último dia 5 de junho. A data foi escolhida em homenagem ao Dia do Meio Ambiente, já que o tema central do evento foi a agroecologia e as estratégias de produção ecológica de alimentos.

A fria manhã de inverno não foi impedimento para a vinda dos participantes, que além da cidade e da zona rural de Caldas vieram também de Santa Rita de Caldas, Poços de Caldas, Poço Fundo e Pedralva.

A abertura do dia foi realizada por Seu Nelsinho da Folia, que leu sua poesia exaltando as riqueza naturais de Caldas, suas águas, matas e belezas, e convocando a todas e todos para uma reflexão sobre a necessidade de preservar a natureza.

A primeira palestra do dia foi sobre os perigos dos agrotóxicos. O palestrante Alan Tygel, da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida, deu um panorama sobre a situação dos agrotóxicos no Brasil, e com foco nos danos à saúde provocados por estes produtos. No debate, foram sugeridos dois encaminhamentos: uma visita de verificação ao local onde é captada a água de Caldas, junto a questionamento à prefeitura pela falta de dados sobre agrotóxicos na água do município; e a elaboração de placas indicando zonas livres de agrotóxicos e transgênicos para serem colocadas nos sítios dos agricultores agroecológicos da região.

A palestra seguinte foi coordenada por Letícia Bustamante, presidente da Rede Orgânicos Sul de Minas (OSM), que organiza a certificação participativa na região. Letícia explicou o funcionamento do processo de certificação participativa, bem como os desafios da comercialização na região. Atualmente a venda dos produtos é feita diretamente pelas associações e cooperativas que integram a OSM através de feiras, grupos de consumo, cesta e compras institucionais. A rede está buscando agora formas de organizar e de centralizar a venda para assim otimizar os custos logísticos.

João Paulo Braga, integrante da Rede Agroecológica da Mantiqueira (RAMA), contou sobre o surgimento do grupo e os desafios na produção agroecológica.

O almoço foi elaborado, em grande parte, com ingredientes produzidos pelas agricultoras e agricultores em processo de certificação do Núcleo Araucária Viva, de Caldas.

Oficinas

No período da tarde, o grupo se dividiu em quatro oficinas: compostagem caseira, biofertilizantes, produção de flores de papel para o 2º Festival de Violas e Sonhos da Pedra Branca e alimentação saudável. Além das oficinas, foi realizada também uma roda de conversa sobre a Marcha das Margaridas, que ocorrerá nos dias 13 e 14 de agosto, em Brasília.

O evento foi organizado pelo Núcleo Araucária Viva, que existe há dois anos em Caldas e tem como objetivo desenvolver a agroecologia na Serra da Pedra Branca.

Uschi Silva, uma das coordenadoras do núcleo, afirma que “para nós, além da produção de alimentos saudáveis, a agroecologia se insere no contexto da luta contra a mineração predatória que ocorre na cidade, apresentando uma alternativa de geração de renda de forma sustentável.”

Atualmente, 5 famílias de agricultores e agricultoras estão em processo de certificação participativa pelo Núcleo Araucária Viva em Caldas e Santa Rita de Caldas.


ASCOM