2020: Prefeito de Muzambinho revela segurança administrativa

Publicado em 12/01/2020 - politica - Da Redação

2020: Prefeito de Muzambinho revela segurança administrativa

O atual mandato Executivo nos municípios tem sido marcado pela falta de repasses governamentais e enormes dificuldades financeiras. Porém, de uma forma geral na região de abrangência deste jornal, as administrações municipais tem conseguido manter os serviços básicos e ainda desenvolver projetos e executar obras importantes para as comunidades.

Em Muzambinho, o prefeito Sérgio Esquilo garante que está ocorrendo a tranquilidade administrativa. Até porque considera sua equipe de trabalho bastante competente. Fez uma comparação entre o orçamento familiar e público, considerando facilidades e dificuldades no trato com as coisas públicas. Declarou que tem consciência de todas as dificuldades, ressaltando que esta situação nunca impediu o desenvolvimento de ações importantes.


CALOTE

O chefe do Executivo relatou que o “calote” que o município sofreu junto ao governo estadual chega próximo a R$ 7 milhões. Além disso, no início de 2019, o atual governador tirou do município cerca de R$ 1,5 milhão referente ao IPVA. Mesmo assim, o município pagou o transporte dos alunos de duas escolas estaduais (Cesário Coimbra e Salatiel de Almeida), num custo superior a R$ 1,5 milhão. Foram vinte e seis meses pagando os professores, mesmo sem receber os recursos do FUNDEB. Por fim, através de projeto de Lei, o Legislativo local retirou diversas taxas do IPTU (lixo, esgoto, varrição e outras), prejudicando a arrecadação em mais de R$ 2 milhões. Conforme o prefeito, são exatamente estas taxas que promovem a manutenção de toda a cidade em ações como asfaltamento, aquisição de medicamentos e compra combustíveis.


OBRAS

Mesmo diante da situação relatada, a administração de Muzambinho encerrou o ano de 2019 com as contas em dia, principalmente com a folha de pagamento dos servidores e em ordem com os fornecedores. Sérgio Esquilo esclareceu que a falta de recursos impediu a continuidade de algumas obras, como por exemplo a construção do novo Teatro Municipal (recursos próprios) e praça do Jardim Altamira. Mas a expectativa para o último ano é retomar e concluir as obras. Até porque o governo estadual deverá iniciar o pagamento parcelado do débito existente com o município. “A nossa expectativa é que o governo estadual honre com os seus compromissos”, disse o prefeito. Principalmente, que novamente não retire a arrecadação de IPVA dos municípios, recurso importante para a execução dos serviços básicos da prefeitura.


TIRANDO COM A OUTRA MÃO

No dia 31 de dezembro de 2019, o governo federal depositou recursos em torno de R$ 920 mil referente ao Pré-Sal. Sérgio Esquilo reconheceu a importância desta ação, mas reclamou que o governo não pagou 1% do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), como ocorreu nos governos anteriores. “Eles dão com uma mão e tiram com a outra e nós prefeitos ficamos com as dificuldades”, declarou.