Paraíso mantém índice de emprego positivo

Publicado em 19/05/2017 - Economia - Da Redação

Paraíso mantém índice de emprego positivo

São Sebastião do Paraíso foi uma das cidades da região que apresentou o índice de geração de postos de trabalho positivo. A informação foi divulgada pelo relatório de abril do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O setor de serviços foi o que apresentou melhor desempenho, tendo acumulado 56 vagas de empregos. No acumulado deste ano o município paraisense foi o responsável pela geração de 247 postos de trabalho.

Segundo dados divulgados pelo Caged, a geração de empregos apresentou uma sensível melhora nas maiores cidades da região onde foram criadas
2,2 mil vagas de trabalho no mês passado. Em termos regionais, foi o melhor desempenho das cidades nos últimos meses, sendo que o setor da agropecuária foi o que lidera a alta em função do início da colheita do café. A tendência de alta éa mesma registrada no Brasil onde foram gerados cerca de 50 mil postos de trabalho.

Em função do início da colheita do café, o setor de agropecuária foi o que apresentou melhor desempenho na geração de empregos nos dez maiores municípios. Na sequencia aparecem as áreas de serviço e comércio. Ainda assim, a agropecuária teve saldo de -16 vagas em Paraíso, enquanto que a área de serviços abriu 56 postos de trabalho, enquanto que a indústria teve mais 24 novas vagas preenchidas.

Com este resultado, Paraíso aparece na 45ª posição no ranking de Minas Gerais entre as cidades que mais geraram postos de trabalho. No último mês foram realizadas 510 admissões e 450 desligamentos. No ano, o saldo de geração de empregos entre os dez maiores municípios é de + 2.556 novos postos de trabalho. Mais uma vez, a agropecuária e o setor de serviços aparecem bem posicionados com +1.440 e +1.345 vagas respectivamente. O setor com pior desempenho é o comércio com -826 vagas de janeiro a abril. Paraíso é a sexta cidade da lista e supera Pouso Alegre, Três Corações, Passos e Poços de Caldas no quesito geração de emprego.

texto: Roberto Nogueira