UM OLHAR SOBRE a cidade

Publicado em 14/11/2017 - Fernando de Miranda Jorge - Da Redação

UM OLHAR SOBRE a cidade

As cidades, mesmo pequenas como Jacuí, hoje, carecem de organização compatível no sistema viário de movimentação de veículos. Os moradores da cidade de Jacuí pedem socorro, tanto motoristas como transeuntes. Nos últimos anos, Jacuí não cresceu na mesma proporção tal qual o acréscimo de veículos per capita, tanto na zona urbana quanto na rural. Resultado: estrangulamento no trânsito, principalmente pela precariedade na sinalização oficial do DETRAN, bem como da topografia estrutural da cidade, com ruas estreitas e estacionamentos irregulares nos dois sentidos da via de rolamento pelos condutores dos veículos. A cidade grita por socorro, por uma engenharia de trânsito capaz de organizar todo o fluxo de ir e vir. Somente assim o motorista agirá, respeitando a sinalização e, ainda assim, só assim, as autoridades poderão cumprir o seu papel: fiscalizar e punir os responsáveis por infrações. Como está, tudo fica mais difícil e perigoso para quem dirige e para o pedestre (calçadas irregulares ou ausentes, faixas) de eventuais acidentes e incidentes, que não sei como não acontecem aos montes. A todo instante, presenciamos cenas passíveis de batidas e ou atropelamentos. Um olhar sobre a nossa cidade, senhores “Edis” (parlamentares, vereadores, prefeito, secretários). Para tanto, senhores gestores, não precisamos esperar verbas de deputados, muito menos de máquinas (geralmente quebradas), nem de funcionários especializados, nem previsão orçamentária para o ano que vem. Basta um olhar com amor sobre a cidade. Ela merece e precisa de uma providência urgente, com uma boa dose de vontade política. Vamos lá a algumas sugestões e exemplos para quem não está enxergando como eu enxergo, das principais ruas “JOÃO PESSOA”, nos cruzamentos com Ruas Barão do Rio Branco e DR José Pedreira; Rua Evaristo de Souza Vieira; Rua Eustáquio Campos; Rua “GOVERNADOR VALADARES”, com Praça Presidente Vargas e Cel. Antônio Cândido. A TRAVESSA Abraão Felipe, entre a Praça Presidente Vargas e a Rua Cel. Antônio Cândido, perigosa mão dupla. Rua “PRUDENTE DE MORAIS”, na saída para São Sebastião do Paraíso, centro comercial e estacionamento duplo, estrangulamento total. “O olhar do habitante, aquele que circula apressado pelas ruas, muitas vezes deixa passar desapercebido valores importantes da paisagem urbana” – não do nosso olhar de crítico – mas do olhar dos gestores, da necessidade de desenvolver ações nas agendas, com uma velocidade cada vez maior na cidade, que por vontade do povo... ADMINISTRAM!  

Fernando de Miranda Jorge - Acadêmico Correspondente da APC / Jacuí/MG – E-mail: [email protected]