Presidente quer recuperar a imagem da Câmara de Guaxupé

Publicado em 07/05/2017 - Legislativo - Da Redação

Presidente quer recuperar a imagem da Câmara de Guaxupé

Servidor público de carreira desde 2009, Danilo Martins de Oliveira é bacharel em Administração de Empresas pelo UNIFEG, Técnico em Serviços Públicos pelo Instituto Federal do Paraná, MBA em Administração Pública e Gestão de Cidades pela Universidade Anhanguera e Pós graduando em Gestão Pública e Controle com Foco em Resultados pela Escola de Contas e Capacitação Professor Pedro Aleixo, do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. Também é professor e palestrante, já tendo atuado no SENAC, Microlins, Winner Idiomas, Instituto Federal do Sul de Minas e de São Paulo (IF). Na iniciativa privada já atuou na área financeira da Unimed Guaxupé, de 2003 a 2008. Filiado ao PHS – Partido Humanista da Solidariedade, em sua primeira candidatura, no ano de 2016, sagrou-se vencedor nas urnas com 647 votos, tendo sido, posteriormente, eleito por seus pares como Presidente da Câmara Municipal para o biênio 2017/2018.

CÂMARA RENOVADA
Apenas dois vereadores foram reeleitos para o atual mandato: João Fernando de Souza e Luzia Angelini da Silva. Outros dos vereadores já ocuparam cadeiras no Legislativo em mandatos anteriores: Ari Cardoso e Jorge Batista Bento. Por fim, são nove novos vereadores, sendo: Danilo Martins de Oliveira, Francisco Timóteo de Rezende, Leonardo Donizetti de Moraes, Salma Regina Gallate, Maria José Cyrino Marcelino, Paulo Cesar Beltrão, Wilson Ruiz de Oliveira, Francis Osmar da Silva e Donizetti Luciano dos Santos

REDUÇÃO DE CUSTOS
O presidente Danilo Martins de Oliveira atendeu a reportagem na última semana e falou sobre o início do trabalho nos quatro primeiros meses de legislatura. A liderança garante que o trabalho entre os 13 vereadores tem sido muito bom até o momento. Embora ocorram divergências políticas no plenário, fato considerado positivo para o jogo democrático, o clima é de união. Logo no início, a mesa diretora fez uma apresentação dos números relativos à gestão da Câmara, comprovando redução nos custos com combustíveis, viagens parlamentares e outras despesas. Para Danilo, esta redução somente foi possível graças ao apoio de todos os vereadores. Foi uma tentativa de recuperação da credibilidade da Câmara como instituição, devido ao desgaste gerado na última gestão. “A população precisa se sentir representada pelo Poder Legislativo”, disse.

MUDANÇAS INICIAIS
Danilo Martins confirmou pequenas mudanças no funcionamento da Câmara. Os servidores efetivos (11) foram mantidos, com três cargos comissionados (assessor da presidência e assessor de comunicação institucional) e assessor jurídico (Dr. Nilton Moura de Mesquita), além de 09 estagiários. Vale lembrar que o atual presidente atuou como controlador na Câmara por oito anos, estando afastado justamente por conta do mandato como vereador. Na legislatura anterior, cada vereador tinha direito a contar com um assessor de gabinete, situação que foi retirada nesta legislatura. Portanto, o trabalho foi iniciado sem os 13 assessores dos vereadores. Até o momento, está sendo possível observar que o trabalho ocorre de forma tranquila.

SUBSÍDIOS E DIÁRIAS
O presidente esclareceu que não houve reajuste no subsídios dos vereadores. A última legislatura deixou de exercer a competência de fixar os subsídios dos atuais membros do poder. Com isso, conforme a Lei Orgânica, foi mantido o valor percebido no mês de dezembro, acrescido apenas do índice inflacionário (em torno de 6%). Portanto, não houve reajuste efetivo. Quanto às diárias, a última legislativa revogou a lei que fixava os valores. Assim, hoje não há valor fixado para as diárias. As poucas despesas com viagens foram custeadas através de reembolso, mediante apresentação de notas pelos vereadores. Mesmo assim, o valor é considerado baixo (em torno de 500 reais) para todos os vereadores durante os quatro meses do atual mandato. Agora, está sendo elaborada uma nova legislação, inclusive reduzindo os valores das diárias em comparação com os valores que estavam vigentes até dezembro do ano passado. Para tanto, foi feito um levantamento de custos (restaurantes e hotéis) em Belo Horizonte, destino mais comuns dos vereadores.

ENTRE OS PODERES
O presidente analisa que o relacionamento entre Legislativo e Executivo tem sido bastante cordial. Logicamente, alguns vereadores tem a postura de oposição mais ferrenha. Mas, pessoalmente, como presidente da Câmara, prima pela independência e harmonia entre os poderes. “A cordialidade tem sido recíproca”, garantiu.

INCENTIVO
Danilo Martins afirmou que está preparado para exercer o cargo público, ressaltando que é preciso estar aberto a críticas e cobranças. Ao mesmo tempo, observa que os vereadores também recebido bastante incentivo por parte da população.