UMA VEZ, UMA agência dos correios...

Publicado em 13/03/2018 - regiao - Da Redação

UMA VEZ, UMA agência dos correios...


Cadê você Agência dos Correios de Jacuí? Que falta faz para quem sempre teve a instituição na cidade. É aquela história de acostumar com as coisas boas. Não dá para andar para trás. Seus habituais frequentadores estão tristes. Também pudera! Desde a época dos Agentes dos anos 50, como a Santa Paiva, e mais tarde o “Cacau” – o Padre Carlos Miranda. Quantas boas lembranças. Esperar a chegada das correspondências. Os cidadãos, em duas oportunidades, aguardavam a “Jardineira” (ônibus) pela manhã e à tarde no ponto do ônibus certo. Era a expectativa de cartas de namorada, de familiares distantes, de amigos, dos jornais dos Estados de Minas e de São Paulo, do Diário Oficial de Minas – órgão da Imprensa Oficial, revistas e encomendas... Durante o horário normal, a Agência regulava telegramas, encomendas e logísticas, marketing direto e mala direta, aliados ao ritual da preparação dos documentos a serem enviados: envelopar, a destinação e endereço completo, a compra dos selos correspondentes e o fechamento do envelope com a língua e ou goma arábica. Tudo isso consumindo prazerosamente o tempo dos ociosos. E mais: as caixas postais, os selos alusivos às comemorações oficiais, seus colecionadores. Mais tarde, o revolucionário Sedex – Sedex 10. Era uma vez uma Agência dos Correios. O sonho dela acabou. Pelo menos para alguns. E a prestação de serviço ao público, também. Hoje, apesar dos tempos modernos, com redes sociais e telefonia celular, os Correios ainda são operantes e importantes para a cidade e sua população. Mas o que houve com a Agência de Jacuí? Desde a incorporação dos Bancos Postais às Agências, o sossego acabou. Desde que bandidos explodiram o espaço físico onde funcionava a Agência, no centro da cidade, não voltaram suas atividades, nem bancárias, nem postais normais. Mais uma grande perda para a tristeza da população jacuiense, já habituada a assistir silenciosamente a decadência de seu Patrimônio Histórico e aceitar que se espalhe pejorativamente seu nome como a cidade do “Já teve”. Delegado, Promotor, Juiz, todos com residência fixa na cidade; Monumentos históricos derrubados; cartório eleitoral; Hospital equipado para cirurgias e com quatro médicos... O que pretendem as autoridades? Será que querem devolver à cidade a condição de vila? Chega de perdas! Pela volta da Agência dos Correios, sem Banco Postal, pelo bem de Jacuí, e não de São Sebastião do Paraíso, pois Jacuí não faz parte da região metropolitana de lá. Até para a postagem de uma simples carta, precisamos deslocar à cidade de Paraíso. Com a palavra as autoridades civis, eleitas para o atendimento público, e não para si mesmos, e, muito menos, para São Sebastião do Paraíso. Infelizmente hoje, todos os caminhos nos levam para lá!

 

Fernando de Miranda Jorge

Acadêmico Correspondente da APC

Jacuí/MG – e-mail: [email protected]