Três livros registram histórias culturais de Guaranésia

Publicado em 05/06/2018 e atualizado em 07/06/2018 - regiao - Da Redação

Três livros registram histórias culturais de Guaranésia

Parte da história e herança cultural de Guaranésia e região ganhou registro em três livros literários lançados em 30 de maio, no Centro Cultural Profa. Fernandina Tavares Paes. É a primeira publicação de quatro autores guaranesianos, que vão participar da 25ª Bienal Internacional de São Paulo, em agosto e na 5ª. Flig, Feira do Livro de Guaxupé, em outubro. 

O ex-piloto de avião Gilberto Ribeiro Alves, Tato, reuniu poesia e três textos teatrais no livro Um Pedaço de Minas que fala Uai.  Entre os destaques está a peça A Reforma, escrita em 1960 e recentemente encenada em Guaranésia e no Memorial da América Latina, em São Paulo. Um dos poemas publicados, “Minas Uai”, foi musicado e interpretado na noite de lançamento por Valquíria Segretti, com acompanhamento musical de Guilherme Ribeiro e (o vereador) Felipe Laudade.  
Vivaldo do Amaral descreve a terra natal em Poemas que Contam e Encantam. Dois poemas do livro ganharam voz no dia 30.  Uma performance apresentou trecho do romance de ficção Lúcidos, dos autores de João Pedro e Roselane Almeida. A presidente da Academia Guaranesiana Infanto Juventil de Letras, Walessa Rodrigues, falou sobre o jovem autor João Pedro.   

Estas três publicações tiveram o patrocínio da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais, por meio de um projeto literário apresentado pela Associação Art´Vida e Cultura da Capoeira. Um das atrações da noite foi a apresentação de capoeiristas da cidade. 

Solenidade e prosas

A conselheira estadual de política cultural de Minas Gerais, a guaranesiana Cacilda Ribeiro, foi uma das organizadoras do evento e do cerimonial. A quantidade de autoridades e convidados presentes complementou a participação de um público diversificado.  
A solenidade foi aberta com o Hino de Guaranésia. João Batista Miguel, secretário adjunto de Cultura de Minas Gerais, representou o Governo do Estado. O prefeito de Guaranésia, Laércio Nogueira, e o vice Diego Castro foram acompanhados por vereadores, secretários municipais e diretores de escolas na cidade. De Guaxupé, o juiz Milton Furquim. Da região, o presidente do Circuito Montanhas Cafeeiras de Minas e o diretor do departamento de Cultura de Monte Santo de Minas. 
Antes do café com autógrafos, os autores Tato, Vivaldo e João Pedro conversaram com o público, dividindo o palco com o secretário adjunto de Cultura de Minas Gerais, a representante da Associação Cultural de Capoeira Art´Vida e a conselheira Cacilda Ribeiro. 
A publicação simultânea de três livros publicados resultou em muitos agradecimentos. Durante os autógrafos, café e prosa.

Colaborou: Silvio Reis