Servidores do Cemitério passam a receber insalubridade em Paraíso

Publicado em 05/01/2018 - regiao - Da Redação

Servidores do Cemitério passam a receber insalubridade em Paraíso

O prefeito Walker Américo Oliveira convidou os servidores do Cemitério Municipal da Saudade para uma reunião na tarde de quarta-feira, 3, com o objetivo de agradecê-los pelo ofício enviado ao gabinete, reconhecendo o esforço da atual administração para atender uma demanda antiga relativa ao pagamento do abono por insalubridade. A questão já vinha sendo discutida há alguns meses entre a Prefeitura e o Sindicato dos Servidores, que também pleiteia benefícios aos funcionários do setor.

                No ofício, encaminhado no último dia 8, os servidores destacaram que “mesmo em tempo de recessão e contenções de gastos, o prefeito mostrou ousadia e coragem, contratando uma empresa para avaliar o trabalho insalubre inerente ao setor”. A reunião também contou com a presença do secretário municipal de Obras, José Antonio Cintra.

                Walker agradeceu pelo trabalho que os servidores tem feito no Cemitério, com relação à limpeza e organização, e ainda pelo importante serviço que eles prestam à população, atendendo a todos no momento difícil que é a perda de um ente querido. “Quero agradecer a oportunidade de poder me sentar à mesa com o chefe do Executivo para expor as necessidades do nosso setor e ressaltar que, pela primeira vez, me senti valorizada como servidora pública. O pagamento da insalubridade é uma grande conquista, e só aconteceu porque o prefeito está presente em todos os setores e procura conhecer as demandas”, disse Célia Maria da Silva Pena, zeladora da capela.

                Durante a reunião, os presentes também discutiram algumas melhorias para o Cemitério, como a instalação de ventiladores nas salas de velório e a colocação de espreguiçadeiras no pavilhão superior, servindo de local de descanso para os visitantes de fora.  O prefeito pretende fazer parcerias com empresas da cidade para atender a este pedido. Também foi cogitada a implantação de um software na secretaria, que facilitará o trabalho dos funcionários da parte interna e externa do Cemitério.

Através do programa de computador será possível mapear as quadras, ruas e jazigos.

                O prefeito comentou ainda sobre sua preocupação com a superlotação do Cemitério, que deve atingir o limite em, no máximo, dois anos. A quantidade de sepultamentos realizados nos últimos 10 anos aumentou consideravelmente. No total, são 7000 jazigos e não há mais espaço para ampliação. Só no ano passado, foram realizados 439 sepultamentos, sendo

85 em novos túmulos.

                Diante dos números, a Administração Municipal pretende fazer um levantamento para identificar os jazigos abandonados e inutilizados, a fim de reaproveitá-los para sepultar novos corpos. “Há muitos túmulos que são tão antigos que não há nenhum parente vivo para cuidar deles.

Uma outra alternativa seria a construção de um ossuário, mas isto custaria cerca de R$ 1 milhão e o município não dispõe deste recurso”, finalizou o prefeito. Para adquirir uma nova área, o município depende de questões ambientais, além de um local apropriado.

ascom