Prefeitura de Poços economiza mais de R$ 7 milhões com serviço de limpeza pública

Publicado em 07/02/2018 - regiao - Da Redação

Prefeitura de Poços economiza mais de R$ 7 milhões com serviço de limpeza pública

A Prefeitura de Poços de Caldas economizou, no ano passado, R$ 4.124.320,55 com o pagamento dos serviços de limpeza pública, que abrange a coleta de resíduos sólidos, a operação do aterro controlado e a varrição das ruas e praças públicas. Considerando também a redução prevista para 2018, a economia chegará a R$ 7.190.781,49.

Em 2016, o custo com esta gama de serviços foi de R$ 11.920.513,33. Já em 2017, os pagamentos somaram R$ 7.795.192,78, o que representa uma diminuição de mais de 34%.

“Esta significativa economia foi possível graças à reorganização do trabalho. A Secretaria de Serviços Públicos realizou um planejamento eficiente das ações, o que possibilitou a reestruturação das divisões, de forma a atender o serviço que antes era feito por empresa terceirizada. A operação do aterro controlado e os serviços de varrição deixaram de ser realizados por empresa contratada e passaram a ser de responsabilidade da própria Secretaria, sem nenhum custo adicional para o município”, ressalta o secretário da pasta, Thiago Biagioni.

Ele informa que não houve contratação de novos servidores, mas apenas a realocação dos profissionais. Além disso, Biagioni aponta como fator determinante para a economia de mais de R$ 7 milhões aos cofres municipais, a redução do valor da coleta de lixo, por meio de novo processo licitatório, passando de R$ 176,43 por tonelada para R$ 116,80, uma queda de aproximadamente 34%.

Agora, o município mantém a empresa contratada (Liarth Ltda.) apenas no serviço de coleta de lixo. Em 2018, a redução nos custos será ainda mais significativa com o valor menor cobrado por tonelada, chegando a R$ 2 milhões.

Qualidade do serviço
Mesmo com a economia, os serviços de limpeza urbana ganharam em qualidade. Com a nova gestão das equipes, foi possível otimizar os diversos serviços e os resultados podem ser vistos por todas as regiões da cidade.

O serviço de varrição, por exemplo, foi organizado a partir de um mapeamento do município. Agora, o trabalho é realizado quinzenalmente em cada local, com três equipes de oito varredores, além de uma equipe que realiza a capina química, composta por seis servidores.

“Além de o serviço estar sendo feito pelo servidor, com economia para o município, a qualidade melhorou significativamente, a partir do planejamento e organização dos trabalhos”, finaliza Biagioni.

ASCOM