Poços é a cidade recordista em número de passos na Campanha pela Esclerose Múltipla

Publicado em 05/06/2018 - regiao - Da Redação

Poços é a cidade recordista em número de passos na Campanha pela Esclerose Múltipla

Mais de três milhões de passos, esta foi a contribuição de Poços de Caldas para a mobilização mundial - Um Milhão de Passos pela Esclerose Múltipla. Vestidos com as cores do Brasil, 128 participantes coloriram e animaram o Parque Municipal. A conta média é a de que 1 quilômetro equivale a cerca de 1.200 passos. A ação que incluiu corrida ou caminhada, aconteceu simultaneamente em vários países, no dia 26 de maio. No último final de semana, a Associação Granadina de Esclerose Múltipla, entidade espanhola que organiza a ação, divulgou os resultados. Para ter a participação computada era necessário se inscrever previamente e registrar a caminhada ou corrida por meio de fotos, filmagens e aplicativos específicos para isso. Pela primeira vez a Prefeitura de Poços, por meio das secretarias de Saúde, de Esporte e das Águas Minerais Poços de Caldas, foi apoiadora da ação realizada no Parque Municipal Antônio Molinari. “Ficamos muito felizes em poder contribuir com esta mobilização e ver que os resultados foram satisfatórios. A esclerose múltipla é uma doença que desafia os médicos, que ainda não tem cura e tudo o que pudermos fazer para sensibilizar sobre a importância de mais atenção para a causa, deve ser feito”, declarou o secretário de Saúde, Flávio Togni de Lima e Silva, um dos participantes da caminhada.  

A esclerose múltipla é uma doença inflamatória do sistema nervoso central, neurodegenerativa, rara e atinge 1,5 milhão de pessoas no mundo e pelo menos 30 mil no Brasil. O paciente apresenta surtos ao longo do tempo. A principal dificuldade é a perda da coordenação motora. O professor universitário Márcio Augusto Scherma, 34, é de Leme, SP, foi diagnosticado em Brasília e em Poços faz tratamento com medicamentos, além de sessões duas vezes por semana na AACD – Associação de Assistência à Criança Deficiente. “Eu era corredor amador e comecei a sentir uma fraqueza na perna direita e a ter dificuldades. Além da fraqueza muscular, vieram o formigamento e a visão dupla, embaçada. O diagnóstico é muito difícil, demorado. Precisamos de mais avanços neste sentido”. 

História semelhante é a da professora de espanhol e organizadora da mobilização no Brasil, Daniela Flauzino Gonçalves, 43, que reside em Andradina, SP. Sem saber a causa e ainda sem cura, Daniela foi mais uma vítima da dificuldade de diagnóstico, confirmado há 21 anos. “A cada crise, chamada de surto, ficam as lesões ativas que vão deixando mais dificuldades. Passei por 16 médicos para receber o diagnóstico. Conscientizar as pessoas, as empresas e os governos sobre a esclerose múltipla é essencial. Precisamos de investimentos em estudos médicos. Agradeço imensamente Poços de Caldas por essa contribuição tão linda”.

 A mobilização em Poços foi organizada pela irmã de Daniela, a cabeleireira Eliane Bueno. “Foi lindo, foi muito especial, reunimos muita gente disposta a contribuir. Além da atividade no Parque Municipal, outras 45 pessoas fizeram a caminhada religiosa até Santa Rita de Caldas, sendo 35 quilometros de percurso o que aumentou ainda mais o resultado final. Certamente vai ficar na memória”.

Ao todo, foram 5.302.274 (cinco milhões, 302 mil e 274) passos, incluindo Poços, e cidades do Estado de Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, além de outros países. A mobilização geralmente é realizada em maio, porque 31 é o Dia Mundial da Esclerose Múltipla. A corrida e a caminhada em Poços também tiveram a participação do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e Tiro de Guerra.

ascom