Dados de Poços compõem a estimativa de câncer do INCA

Publicado em 09/02/2018 - regiao - Da Redação

Dados de Poços compõem a estimativa de câncer do INCA

Como parte das ações alusivas a 4 de fevereiro, Dia Mundial do Câncer, o Inca – Instituto Nacional de Câncer e o Ministério da Saúde, lançaram a publicação Estimativa 2018 – Incidência de Câncer no Brasil, para o biênio 2018 – 2019. Os dados reúnem informações fornecidas por 26 RCBP - Registros de Câncer de Base Populacional, incluindo o de Poços de Caldas. “Este levantamento tem o objetivo de conhecer realmente a magnitude dos principais tipos de câncer e como está a distribuição desta incidência no território nacional. E a partir desse conhecimento, planejar ações e programas para o controle e prevenção, por meio da definição de políticas públicas e alocação de recursos baseados nos cânceres mais prevalentes. Essas estimativas dão informação aos gestores, aos profissionais de saúde e a toda população sobre este cenário que permite programar ações para prevenção em todos os níveis”, afirmou o médico Antônio Ângelo Rocha, coordenador do RCBP de Poços.


Desde 2009, Poços de Caldas é RCBP, único do interior de Minas e o segundo do Estado, além do de Belo Horizonte. No interior do Brasil, apenas São Paulo e Minas Gerais possuem municípios que fazem o RCBP – Registro de Câncer de Base Populacional. Já o RHC é o Registro de Câncer Hospitalar feito em uma unidade específica de atendimento. Em Poços, já são RHC, a Unacon, a Clínica Memorial e o Hospital da Unimed. Os dados do RHC avaliam a qualidade da assistência prestada em determinada unidade enquanto que os resultados do RCBP mostram a incidência de câncer na população e o impacto da doença neste público. Os dados coletados nos municípios compõem a base gerada pelo INCA, o Instituto Nacional de Câncer e integram publicações como esta mais recente. “É uma honra fazer parte desta publicação e os dados nos dão a oportunidade de definirmos ações práticas voltadas para o tratamento e também para a prevenção”, avaliou Juliana Loro Ferreira, coordenadora da Vigilância Epidemiológica e supervisora do RCBP. Também fazem parte do RCBP: Cristiano Lima, digitador e registrador e Roberta Graziela da Silva, registradora.

A incidência de câncer cresceu 20% no mundo na última década. Para 2018, a estimativa é do aparecimento de 600 mil novos casos no Brasil. Espera-se até 2030, o surgimento de 27 milhões de novos casos no mundo. Segundo estimativa, entre a população do sexo masculino, os tipos mais prevalentes são: próstata, traqueia, brônquio e pulmão, cólon e reto, estômago e cavidade oral. O câncer de traqueia, brônquio e pulmão é a segunda causa mais frequente depois do câncer de próstata, pelos dados nacionais. No entanto, na região Sudeste e também pelo registro de câncer de Poços, o câncer de cólon e reto é o segundo mais frequente entre os homens. Entre a população do sexo feminino, a estimativa informa como os mais prevalentes no território nacional, os cânceres de mama, cólon e reto, colo do útero, traqueia, brônquio e pulmão e glândula tireoide. Analisando os dados da região Sudeste e os específicos de Poços, a ordem de incidência fica em mama, cólon e reto, traqueia, brônquio e pulmão, colo do útero e glândula tireoide.


É muito gratificante Poços ter sido escolhida como um dos municípios, na relação das 26 cidades brasileiras, sendo a única do interior de Minas como referência para avaliação dos casos de câncer. Esta escolha mostra o nível técnico da Secretaria Municipal de Saúde na coleta de informações e no manuseio adequado das mesmas. Estes dados são de grande utilidade para o planejamento da abordagem do câncer na região com todas as suas especificidades. As informações são muito ricas e mostram com detalhe a incidência da doença maligna trazendo ao setor da saúde, mais possibilidades de ações assertivas. O fato evidencia a qualidade do trabalho desenvolvido pelos nossos profissionais e ao mesmo tempo, a necessidade de termos um Hospital do Câncer em Poços de Caldas”, afirmou o secretário de Saúde, Carlos Mosconi. A publicação pode ser acessada em http://www.inca.gov.br/estimativa/2018/.


ascom